Animais silvestres apreendidos em Itu encontram refúgio em “santuário” na região

Por Daniel Nápoli

Biólogo e diretor do CRAS Rafael Mana, ao lado de sua equipe juntamente com pássaros resgatados (Foto: Divulgação)

No último dia 4 de junho, a Polícia Civil de Itu, após denúncia anônima, apreendeu 33 pássaros silvestres que se encontravam em cativeiro no interior de um imóvel no bairro São Judas Tadeu. Os animais, após terem sido levados até a Delegacia Central, foram encaminhados ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, localizado na cidade de São Roque.

O Periscópio esteve em contato com o biólogo Rafael Mana, diretor do Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), para saber como se dá o processo de encaminhamento ao local, desde a apreensão por parte da Polícia Civil até os cuidados realizados no “santuário”.

“Após muitos pedidos desesperados de socorro e a constatação da falta de instituições para atendimento aos animais silvestres acidentados, resgatados e apreendidos na nossa região, em 2018 surgiu a ideia de abrirmos (integrantes do Núcleo da Floresta, criado em 2016, para auxiliar estudantes da área ambiental) o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres”, conta Mana.

O biólogo segue explicando. “Desde então, estamos trabalhando arduamente para fornecer aos pobres animais silvestres um atendimento de alta qualidade, realizado por médicos veterinários e biólogos especializados, possibilitando, em boa parte das vezes, o seu retorno à natureza. Nossa equipe é formada por técnicos altamente qualificados e na grande maioria, totalmente voluntários, que se dedicam com afinco para a reabilitação dos animais”.

A instituição privada, sem fins lucrativos  e que não é auxiliada por prefeituras ou Estado, de acordo com Rafael, realiza o trabalho “por amor à profissão e aos animais”. Neste ano, a mesma teve de desativar seu escritório em Itu, continuando com o trabalho em São Roque. Porém, o CRAS não deixou de atender o município ituano”, explica.

“No ano passado firmamos uma grande parceria com a Polícia Civil de Itu, prestando a consultoria técnica para apoio às ações de apreensão de animais silvestres ilegais e combate ao tráfico, identificando, instruindo, recebendo, tratando, reabilitando e realizando as solturas dos animais em locais adequados”, prossegue o biólogo.

Ao considerar o período de parceria com a Polícia Civil de Itu (desde 2019), Mana comentou ao JP que o CRAS recebe uma média mensal de 40 animais silvestres ilegais apreendidos, com destaque para os passarinhos de canto, como Picharros (Saltator similis), Canários-da-Terra (Sicalis flaveola), Coleirinhas (Sporophila caerulescens)e Sabiás (Turdus sp.), entre outros.

O biólogo ainda explica que, após a realização da apreensão dos animais e encaminhamento ao CRAS, eles passam por uma análise clínica e posteriormente a uma análise técnica, sendo devidamente identificados e encaminhados para o setor adequado de acordo com a necessidade individual.

“Quando se trata de espécies nativas de ocorrência regional, os animais são tratados, reabilitados e soltos nas áreas determinadas pelos técnicos onde ocorre o monitoramento diário para identificação de quaisquer necessidades de intervenção humana. Quando se trata de espécies que não possuem ocorrência na região, os animais são encaminhados para os CETAS (Centros de Triagem de Animais Silvestres) ou CRAS das regiões de origem ou mantenedouros conservacionistas, no caso da inviabilidade de reintrodução do animal na natureza”, relata Mana.

Ainda de acordo com ele, no ano passado o CRAS recebeu 389 animais de 17 diferentes municípios, sendo que 252 deles foram devidos à natureza. “É uma taxa de sucesso muito representativa considerando o estado em que os animais chegam até nós, como por exemplo atropelados, mutilados, vítimas de caça, filhotes órfãos, apreendidos por maus tratos, etc.”, comenta.

O trabalho do CRAS (Núcleo da Floresta) pode ser acompanhado nas redes sociais como Facebook (facebook.com/nucleodafloresta) e Instagram (@nucleodafloresta), páginas em que os interessados podem se informar para a realização de doações.

Um comentário em “Animais silvestres apreendidos em Itu encontram refúgio em “santuário” na região

  • 16/06/2020 em 15:08
    Permalink

    Faz Cinco meses estive na barranca do rio Tietê próximo ao aero clube onde eles brincam com seus aviões de controle remoto e presenciei bastante canários até falo de campina fiquei feliz em ver o como estão reproduzindo ali uma vez que só vejo estes pássaros em meu rancho no mato grosso ,mas por outro lado me intristece em saber que já tem muitos passarinheiros de profissão caçando os mesmo por lá

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *