Após julgamento, Marquinhos da Funerária terá que prestar serviços à comunidade

Após audiência realizada no Fórum de Itu na tarde da última quarta-feira (28/11), a juíza Karla Peregrino Solilo sentenciou o ex-presidente da Câmara Municipal de Itu, Marcus Aurélio Rocha de Lima, o Marquinhos da Funerária, a três anos em regime aberto, convertidos em prestação de serviços à comunidade e multa de dez salários mínimos, após julgamento pelo crime de posse ilegal de arma de fogo.

O ex-parlamentar, que retornou para sua residência, havia sido preso no dia 4 do mês passado em cumprimento de um mandado de prisão, pelo fato de ter sido flagrado dirigindo em estado de embriaguez, descumprindo na época um acordo em audiência de custódia no dia 15 de maio, quando no dia anterior havia sido preso por posse ilegal de arma de fogo.

Naquela oportunidade, Marquinhos foi liberado após pagamento de fiança, sendo acordado que teria de cumprir uma série de exigências, entre elas de permanecer em sua casa durante a noite, bem como não se envolver em nenhum tipo de ato infracional.

Do dia 4 de novembro até o julgamento do dia 28, o ex-parlamentar permaneceu aguardando no Centro de Detenção Provisória de Sorocaba/SP. 

Defesa

O Periscópio esteve em contato com o advogado de defesa de Marquinhos da Funerária, Dr. Eduardo Felipe Soares Tavares, que disse que agora será aguardado o período em que caberia um recurso em relação à sentença, para que daí seja escolhido o local de cumprimento dos serviços à comunidade.

Questionado a respeito do processo de embriaguez ao volante, o advogado disse “acredito que outro colega atenderá o caso, mas o que sei é que o processo ainda está no início. Ainda não foi feita nenhuma intimação”, concluiu à reportagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *