Atrações Otávio Luiz

J.C. Arruda

O presidente do Ituano Clube, era o Horlimar Pires de Almeida que a cidade inteira conhecia como Horli. Simpático e sonhador, conseguiu fazer do clube um local mais popular como nunca havia sido antes. Nas várias gestões de Horli o Ituano cresceu em estrutura física mais que duplicando a capacidade do antigo prédio, idealizado para ser um recanto da elite regional. Também foi nas gestões de Horli que o jogo de cartas alcançou seu auge na casa, sendo frequentado por jogadores de várias partes do Brasil. Alguns deles, vindos na esteira de Anselmo Duarte que estava na crista da onda com fama mundial, após a conquista da Palma de Ouro, no Festival de Cannes, na França, com o “Pagador de Promessas”. Era então comum, encontrar no clube figuras do cinema, da TV e do rádio, como Tarcisio Meira e Glória Meneses, Maurício Loureiro Gama, Branca Ribeiro e outros.
Foi nesse tempo que Horli contratou para gerenciar todo o departamento de jogo, nada mais, nada menos que o baiuqueiro mais conhecido da cidade, o Brizolinha. Boêmio, mulherengo, malandro, não demorou para Brizolinha tomar conta total da situação. Por mais comum que seja a malandragem no meio de jogatina, não havia espertalhão que levasse o novo gerente no bico. Quando surgia algum malandro querendo aprontar alguma, logo percebia que não ia dar certo porque dizia se que “quando ele vai indo com o milho para fazer o fubá, o Brizolinha já estava com a polenta pronta”. Só que ele era o tipo de malandro do bem. Logo conquistou o respeito de todos. Aliás, não só o respeito como também a amizade.
Dos amigos, virou o socorro, não sendo raras as vezes em que emprestava (ou dava) algum dinheiro para quem saiu da mesa de jogo praticamente falido. Chegava a ser confidente das pessoas que o cercavam, a ponto de comumente se envolver emocionalmente com sócios e funcionários. Os frequentadores do clube costumavam dizer que o Ituano com Brizolinha era uma coisa e sem ele, outra. O danado era espirituoso e sedutor. Ser espirituoso o fazia simpático com todos e tornava alegre o ambiente onde quer que estivesse. Como sedutor, vivia cercado de mulheres nem sempre puras ou sérias. Dizem que certa vez foi chamado na Delegacia de Polícia acusado de receber moças menor de idade na chácara em que morava. Ele explicou candidamente, inocentemente ao delegado: – “Sabe Doutor, quando levo uma mulher para minha chácara, não costumo pedir documento de identidade para ela. Seria uma descortesia!” Acabou em pizza…
Foi aí que aconteceu o caso de Inácio.
Este era uma espécie de garçom que servia café e lanches aos jogadores na própria mesa de jogo. Era outra pessoa querida que bem vivia das gorjetas que recebia. Geralmente ia até o Restaurante Richard´s para buscar os baurus, os mistos-quentes, os guaranás etc e, na volta acabava ficando com o troco. Pois no bar era atendido sempre pela balconista Glorinha que o tratava com a maior simpatia. Da simpatia à paixão foi zás-traz. E, de fato, a loira Glorinha era um tesão. A paquera virou romance e ficou algo muito sério. Quando o relacionamento já atingia o seu auge, eis que surge em Itu uma figura chamada Otávio Luiz que veio para apresentar um programa de auditório na Rádio Convenção, chamado “Novas Atrações Otávio Luiz” E o programa era um sucesso, principalmente para a mulherada e, mais principalmente ainda, para a Glorinha que virou fã do novo galã da cidade. Aliás, mais do que fã, segundo as fofocas dos linguarudos. Até que chegou o murmurio aos ouvidos de Inácio.
Quando Inácio chegou para trabalhar naquela noite, não conseguiu se concentrar. Até que não se aguentou e pediu para conversar com Brizolinha, para abrir o coração ferido ao querido chefe. Ambos foram até o andar superior do clube para conversar sigilosamente. Inácio, aos prantos, explicou o caso e, desesperado, garantiu que ia dar um fim na vida do Otávio Luiz. Só ainda não havia decidido se seria na bala ou na faca. Brizolinha, sempre espirituoso, sugeriu: – “Por que você não dá uma chifrada nele?” Diante da pilhéria, Inácio ficou ainda mais revoltado, correu até o parapeito da sacada e subiu nele, ameaçando pular lá em baixo, na praça apinhada de gente. Mas, Brizolinha bem rápido, abraçou-o pela cintura, gritando: – “Calma Inácio, eu falei que você tem chifre e não asas”.
Só sei que o apaixonado não conseguiu se suicidar, mas, por via das dúvidas, Otávio Luis rescindiu o contrato com a Rádio e foi apresentar o programa “Novas Atrações Otávio Luiz” na Rádio Emissora Jundiaiense, tendo como nova atração, a auxiliar de palco, uma linda loirinha chamada Glorinha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *