Cinerama: Os Novos Mutantes

Por André Roedel

Fox Film do Brasil | 1h33 | Suspense/Fantasia
Em cartaz hoje às 16h e 20h30 no Cine Plaza (dublado)

O mais “zicado” filme dos últimos tempos finalmente viu a luz do dia. Ou o escuro da sala de cinema, pra ser mais exato. Depois de vários adiamentos, refilmagens e uma pandemia, “Os Novos Mutantes” – última produção do universo dos X-Men produzida pela 20th Century Fox antes da compra pela Disney – estreou de forma quieta, com uma recepção morna, mas me agradou.

A pegada meio pós-terror e o elenco em sintonia faz do longa-metragem dirigido por Josh Boone um entretenimento ao menos decente mesmo com suas falhas de desenvolvimento e toda a problemática que o acompanha desde sua concepção. No primeiro ato do filme, somos apresentados a Danielle Moonstar (Blu Hunt), uma jovem nativo-americana que perde a família e todos os vizinhos de sua reserva após um evento, no mínimo, estranho.

Em seguida, ela vai parar em um local que se assemelha a um hospital psiquiátrico para tratar desse trauma. Lá, ela é cuidada pela Dra. Reyes (interpretada pela brasileira Alice Braga) e descobre que é uma mutante, mas ainda sem saber quais são suas habilidades. Dani conhece outros quatro jovens internados (vividos por Maisie Williams, Anya Taylor-Joy, Charlie Heaton e Henry Zaga) no local e, juntos, precisam superar as diferenças para enfrentar seus demônios internos – e alguns externos.

Aí reside uma dinâmica meio “Malhação” (sim, a novelinha da Globo) que é até interessante, mas poderia ser melhor explorada. Eu queria ver mais da relação entre os cinco personagens, mas os produtores resolveram colocar elementos para ligar aos filmes mutantes anteriores – insistindo, assim, em uma franquia que já não existe mais.

“Os Novos Mutantes” é daqueles tipos de produção que facilmente poderiam ter sido lançadas na televisão ou em algum serviço de streaming e seria uma distração descompromissada de fim de noite. Mas, lançada em meio a uma pandemia sem critério algum, se torna uma obra dispensável. Se você não é dos fãs mais “hardcore” da Marvel, não vai perder muita coisa.

Nota: ☆ ☆ ☆

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *