Com primo de Bolsonaro, Aliança pelo Brasil colhe assinaturas em Itu

Por Daniel Nápoli

Grupo, que conta com pré-candidatos a prefeito e vereador, fez campanha na Praça da Matriz, no Centro de Itu (Foto: Daniel Nápoli)

No último sábado (15), foi realizada na Praça Padre Miguel (Matriz) a coleta de assinaturas para que o partido Aliança pelo Brasil, do presidente da República Jair Bolsonaro, possa ser criado oficialmente. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para ser criado um partido precisa de 492 mil rubricas em pelo menos nove estados.

Pré-candidato a vice-prefeito nas eleições municipais de Itu, o Dr. Marcelo Bolsonaro é primo do presidente da República. Morador da cidade há 20 anos, o cirurgião-dentista comenta a respeito do partido. “Minha esposa é daqui, meus filhos nasceram aqui e daí pra frente tive a cidade de Itu como minha residência fixa e depois de algum tempo, com as eleições do Jair, tivemos um contato e nos foi direcionado o Aliança para fazer a captação das intenções de abertura do partido aqui em Itu; com isso nós estamos fazendo a divulgação”.

O familiar do presidente falou ainda sobre como Jair é visto na cidade. “A aceitação dele aqui é de 83%, a população de Itu acredita, é conservadora, com os valores de família, acreditam naquilo que nós acreditamos. Dessa forma nós estamos querendo trazer Itu também como uma referência dentro do partido que vai ser criado. A gente fica muito contente da população pensar da mesma forma. Tem que se ter uma abertura para todos os pensamentos, mas sempre pensando no coletivo, nunca individualizar. Temos que fazer isso em todas as áreas e situações da vida”.

Coordenador do Aliança pelo Brasil em Itu e pré-candidato a prefeito, Capitão Dias (DC) comentou a respeito da coleta de assinaturas. “Vamos ficar nas ruas centrais da cidade o tempo que for necessário para angariar assinaturas, com o objetivo de somar a outros pontos do Brasil e chegar às 500 mil assinaturas necessárias para que o partido seja criado e assim possa disputar as eleições municipais”, afirmou.

A advogada do partido, Karina Kufa, acredita que o partido já tem fichas suficientes, mas orientou os apoiadores do partido para que não parem a coleta de assinaturas. Um dos articuladores do Aliança na cidade, Paulo Guerreiro acredita que o partido possa disputar as eleições deste ano. “Temos um curto prazo para conseguir, para que possamos disputar as Eleições 2020 pelo Aliança. Com certeza nosso objetivo será alcançado”.

Embora os articuladores da cidade demonstrem esperança, no início do mês, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho de Jair, defendeu que o partido só comece a disputar eleições a partir de 2022, argumentando que o Aliança “não pode cometer o mesmo erro do PSL em aceitar pessoas sem nenhum tipo de filtro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *