Coral Vozes de Itu canta Oratória de Elias Lobo

Foto – Divulgação

Neste sábado (10), às 19h30, na Igreja do Carmo, o Coral Vozes de Itu, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura de Itu e o Convento do Carmo de Itu, apresenta novo concerto histórico de Itu, desta vez comemorando o Dia Maestro Elias Lobo. A composição preparada pelo grupo é a “Oratória de Nossa Senhora da Conceição”, escrita em 1883, a primeira obra musical apresentada na Catedral de Campinas, em sua inauguração no dia 8 de dezembro daquele ano.

Elias Álvares Lobo nasceu em Itu no dia 9 de agosto de 1834 e se notabilizou na música brasileira pela composição da primeira ópera brasileira em língua nacional, “A Noite de São João”, em 1860. Viveu também no Rio de Janeiro, Itatiba, Campinas e São Paulo, onde faleceu em 1901.

Ao deixar a capital do Império, dedica-se ao gênero de música sacra. Além de missas e novenas, Elias Lobo compôs pelo menos três oratórias com temas religiosos. O gênero se caracteriza por uma ópera sem cena. Os personagens dialogam com o coro celebrando o anúncio da gravidez de Maria pelo anjo Gabriel, o estranhamento e posterior aceitação de São José.

Elias Lobo foi um dos primeiros, senão o primeiro, dentre os compositores brasileiros a se dedicar a oratórias, gênero muito comum no período barroco e romântico na Europa. Peças como esta não são feitas para se cantar na liturgia, mas em forma de concerto. As partituras originais pertencem ao acervo do Museu da Música – Itu e foram transcritas pelo Prof. Marcos Júlio Sergl.

O texto da Oratória de Nossa Senhora da Conceição é de autoria do Dr. Antonio da Costa Carvalho. A apresentação na Igreja de Nossa Senhora do Carmo contará com a participação de solistas do Vozes de Itu e do pianista Daniel Guimarães. Há 25 anos o Coral Vozes de Itu se dedica à recuperação e apresentação de obras históricas da música paulista.

O evento conta com apoio da Associação Cultural Vozes de Itu e Instituto Cultural de Itu e tem direção artística de Luís Roberto de Francisco e Paulo Zeppini. A obra será reapresentada no dia 31 de agosto, às 19h30, na Basílica de Nossa Senhora do Carmo em Campinas. A entrada é franca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *