Deputada Rita Passos é convidada para a Secretaria Nacional de Inclusão Social

Por André Roedel

Rita Passos e Michelle Bolsonaro durante reunião realizada ano passado / Foto – Reprodução

A deputada estadual Rita Passos (PSD), que não foi reeleita nas eleições do ano passado, foi convidada para ocupar o cargo de secretária nacional de Inclusão Social e Produtiva Urbana do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). A informação foi confirmada pela própria parlamentar, esposa do deputado federal Herculano Passos (MDB), à reportagem do Periscópio.

Na manhã desta sexta (18), o JP conversou com a deputada, que declarou ter sido de fato convidada pelo ministro da Cidadania Osmar Terra (MDB-RS) e está propensa a aceitar o convite. Só não aceitou ainda porque quer concluir seu mandato na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, que vai até o dia 14 de março.

Rita disse que assumir a Secretaria é um “novo desafio” e que gosta muito mais do Executivo do que o Legislativo, apesar de ter ficado 12 anos na Alesp. “Poderei mostrar mais o potencial”, disse. A deputada disse que Terra a conheceu quando foi secretária estadual de Assistência e Desenvolvimento Social do ex-governador José Serra (PSDB) entre junho de 2009 e março de 2010, quando ela estava no PV, e viu sua atuação.

Falando sobre partido, Rita disse que segue no PSD – apesar de após o mandato não precisar ser filiada a uma legenda. “Deus vai providenciar”, declarou. Durante a campanha, a deputada não apoiou o então candidato a governador João Doria (PSDB) mesmo com seu partido integrando a base, o que causou mal-estar interno.

Além da secretaria estadual, Rita Passos já teve outro trabalho na área de promoção social. A primeira foi quando era primeira-dama de Itu e presidiu o Fundo Social de Solidariedade (Funssol), durante gestão de Herculano como prefeito de Itu. Na última eleição, Rita somou 54.341 votos, mas não foi reeleita.

Junto com Michelle
Na foto em destaque desta matéria, Rita aparece com a primeira-dama Michelle Bolsonaro. A imagem foi retratada após uma reunião sobre deficiência realizada ano passado. A deputada disse admirar Michelle por ela ser uma “mulher de oração” e acredita que poderá desempenhar um bom trabalho. “Estou torcendo muito pelo desenvolvimento do país”, disse ao JP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *