Diretoria de Ensino garante que greve não atrapalhou o início do ano letivo em Itu

Na última sexta-feira (05), a APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) realizou uma assembleia regionalizada virtual em que 91,7% da categoria votou pela greve a partir de segunda-feira (08), data que estava previsto o retorno presencial das aulas.

Os professores decidiram permanecer com o trabalho remoto, com a decisão tendo o apoio de 81,8% da categoria. Na oportunidade, a presidente do Sindicato e deputada estadual, Professora Bebel (PT), explicou que se trata de uma “greve sanitária em defesa da vida contra a volta às aulas presenciais”.

“Não há condições para um retorno seguro. As escolas não apresentam a mínima infraestrutura. Recebemos a todo momento fotos e vídeos de professores mostrando banheiros quebrados, lixo acumulado, goteiras, álcool em gel vencido. E tudo isso já está causando consequências graves. A APEOESP fez um levantamento em que constatou até agora 147 casos de Covid em escolas. Todas tiveram algum tipo de atividade presencial. Imagine o que vai acontecer quando milhões de estudantes voltarem para as aulas presenciais no Estado”, afirmou Bebel.

A parlamentar afirmou ainda que, diferentemente de outras paralisações, desta vez o foco é a saúde, a preservação de vidas, tanto de professores quanto de estudantes, funcionários e familiares.

Na segunda-feira (08), as aulas presenciais retornaram, segundo a Diretoria de Ensino, com todas as escolas equipadas com os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e podendo receber até 35% de alunos por sala, em conformidade com a fase laranja do Plano São Paulo. Além disso, nas cidades que estão na fase vermelha ou laranja, não é obrigatório para o aluno a aula presencial, o que é o caso de Itu.

A reportagem do Periscópio esteve em contato no início da semana tanto com a Diretoria de Ensino de Itu quanto com a APEOESP Regional para saber se a greve ocorreu de fato na cidade e qual foi o impacto no retorno às aulas presenciais.

De acordo com Josimarie Julio, dirigente de ensino de Itu, todas as 17 unidades escolares  da rede estadual iniciaram as aulas normalmente. “A greve não interferiu no início das aulas presenciais e nem no atendimento aos alunos nesse retorno. Aliás, foi um sucesso esse início de aula. Escolas organizadas para receberem os alunos”, explica.

Josimarie afirmou ainda que os professores que não compareceram apresentaram atestado médico. A dirigente informou também que três professores aderiram à greve em Itu.

O JP também esteve em contato com a professora Rita Diniz, presidente da Subsede Regional de Salto, Itu e Porto Feliz da APEOESP. A dirigente comentou que “a adesão a greve é baixa no estado e em nossa regional não é diferente”. Rita acrescentou que uma nova assembleia está marcada para ocorrer na sexta-feira (12) para discutir a continuidade ou não da greve promovida pela entidade de classe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *