É melhor prevenir que remediar

Por Nayara Palmieri

Segurança é coisa séria, não importa se estamos falando de empresas grandes, pequenos negócios, escritórios, condomínios ou residências de rua. Todo cidadão quer e tem direito à sua segurança e de seus patrimônios. E para atender a demanda dos tempos atuais, as empresas especializadas em segurança fizeram uma “parceria” com a tecnologia. Eis que surge a segurança eletrônica.

É comum as pessoas acharem que, para montar um sistema de segurança, basta instalar os equipamentos eletrônicos e está tudo feito. Mas não é bem assim! Há vários requisitos, além de ferramentas eletrônicas, que devem ser analisados quando se pensa em monitoramento. Confira algumas etapas importantes que ajudam na hora de montar um sistema de segurança.

O estudo das necessidades

O estudo das necessidades é, sem dúvidas, a parte mais importante na hora de planejar o sistema de monitoramento de sua empresa ou residência. Os pontos a serem levados em conta nessa etapa são:

  • É preciso identificar quais as soluções disponíveis e como elas se encaixam à sua necessidade;
  • Também é necessário analisar quais os seus interesses, que tipo de segurança está à procura e quanto está disposto a investir.

Pessoal

É preciso analisar se os profissionais da empresa contratada para fazer a segurança de sua família ou patrimônio atende alguns requisitos, sendo eles:

  • Capacidade de lidar com imprevistos;
  • Reconhecer e dar definição aos problemas;
  • Atuar de maneira preventiva a todo momento;
  • Percepção rápida e conclusiva para identificar atitudes suspeitas;
  • Inteligência emocional para lidar com conflitos e assumir riscos;
  • Disciplina e pró atividade.

Por se tratar de um assunto delicado, como é a segurança privada, é necessário ter mais cuidado que o habitual na hora de contratar um serviço.

Estruturação

É de extrema importância que exista um recinto separado e dedicado especialmente para o núcleo de monitoramento. Nesse local, estará o equipamento necessário para a segurança e os profissionais. Também é recomendado que exista duas linhas diferentes de telefones, caso a primeira opção esteja interrompida num momento de necessidade, é possível usar a linha alternativa.

Outro erro comum na hora de montar um sistema de segurança é que quem procura por meios eletrônicos para o monitoramento esquece que é essencial ter um profissional aliado à tecnologia. As pessoas ainda não foram totalmente substituídas pela tecnologia.

É importante ter sempre em mente que, após alguma evidência ser detectada por dispositivos tecnológicos, a primeira decisão é dos colaboradores da segurança. Com treinamento especializado, os vigilantes tomarão as atitudes necessárias para que tanto a equipe quanto o patrimônio sejam resguardados.

Uma equipe preparada e afinada, que sabe como montar um sistema de monitoramento é indispensável. Afinal, os pontos eletrônicos só irão evidenciar o que já está acontecendo. Quem vai tomar as medidas protetivas ao que o sistema de segurança está mostrando é a equipe. Por isso, a importância de estar entrosada com os procedimentos necessários.

A equipe do JP entrou em contato com Luciana Carvalho, proprietária da Conforseg, empresa especializada em segurança eletrônica, para saber quais são os tipos de segurança mais procurados e suas funções. Confira:

  • ·CFTV (Circuito Fechado de Televisão): equipamento destinado a captar imagens de um determinado local, permitindo sua visualização, gravação e transmissão. É uma opção excelente para proteger seu patrimônio, visto que as pessoas sabem que estão sendo vigiadas, intimidando atos criminosos. Esse sistema também permite acesso remoto às imagens, via internet;
  • Cerca Elétrica: sua principal função é de repelir qualquer possível invasor. A cerca não é letal, mas gera um incômodo que tende a impulsionar o invasor para longe dos fios. Integrada a um sistema de alarme, ela dispara quando um fio é rompido ou aterrado.
  • Concertina: concertina é o nome dado às cercas de segurança em formato espiral que contam com detalhes cortantes, pontiagudos e afiados. Podem ser eletrificadas ou não.
  • Alarmes: é um conjunto de equipamentos destinados à detecção de anormalidades em um ambiente. Pode ser empregado para detectar presença de pessoas, animais e princípios de incêndio.
  • Porteiro Eletrônico e Vídeo Porteiro: ambos são bem conhecidos, mas estão evoluindo e apresentando novas funcionalidades para ampliar a segurança. Mais conhecido como “interfone”, o porteiro eletrônico exerce funções de atender chamadas de portas e portões externos sem sair de casa e liberar a entrada dos visitantes. O vide porteiro é basicamente a mesma coisa, mas com a opção de visualizar o visitante, através de vídeo.

Benefícios da segurança eletrônica

Além de passar tranquilidade, a segurança eletrônica proporciona outros benefícios. Confira alguns deles a seguir:

  • Redução do risco de arrombamentos

As estatísticas revelam que empresas com monitoramento eletrônico estão três vezes menos propensas a serem invadidas.

  • Redução na reincidência de roubos e furtos

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, um local que já foi invadido ou furtado tem chances maiores de sofrer as mesmas consequências novamente. Já uma empresa estruturada tecnologicamente com segurança não se encaixa neste perfil.

  • Redução de custos com seguro

As seguradoras costumam oferecer ainda descontos para empresas que já tem monitoramento eletrônico instalado.

  • Agilidade

Caso a empresa se encontre em um local afastado ou com área isolada, entender como montar um sistema de monitoramento eletrônico possibilita maior rapidez no acesso a serviços de segurança.

  • Consultoria especializada

Em toda corporação, existem cômodos e divisões que necessitam de cuidados especiais. Só uma empresa especializada saberá qual o ponto de ação para cada lugar.

  • Riscos de acidentes

Os sistemas de monitoramento eletrônico podem evitar acidentes, tais como vazamento de gases tóxicos. Um exemplo é o monóxido de carbono, gás liberado na combustão que leva à morte por asfixia, caso a vítima não receba o tratamento adequado a tempo.

  • Riscos de incêndio

O monitoramento eletrônico notifica você e os outros responsáveis pela corporação sobre o princípio de um incêndio. Nesse tipo de situação, a agilidade do processo é vital para salvar vidas e reduzir ao máximo os danos patrimoniais.

  • Emergências

O sistema de monitoramento disponibiliza o botão de pânico. Tocando este botão, a central de segurança é informada da situação de risco e, de imediato, é encaminhada uma equipe ao local do evento ocorrido em companhia dos órgãos de segurança pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *