Em audiência, secretária da Saúde fala sobre andamento das obras do Hospital

Em audiência, secretária da Saúde fala sobre andamento das obras do Hospital

Foto: Divulgação/Câmara

Na manhã da última segunda-feira (14), a Câmara Municipal sediou a audiência pública da saúde referente ao primeiro quadrimestre do ano. Na oportunidade, os representantes da Secretaria da Saúde responderam a questões dos vereadores, falando sobre o andamento das obras do novo Hospital Municipal de Itu.

De acordo com a secretária de Saúde, Janaina Guerino de Camargo, até abril foram gastos R$ 63.563,48 com a construtora responsável pelas obras. O valor total licitado é cerca de R$ 980 mil. A responsável pela pasta ainda informou que todo o custeio com a reforma do prédio é feito pela Prefeitura, enquanto as emendas enviadas por deputados serão usadas para compra de equipamentos.

A respeito da previsão de inauguração do Hospital, Janaina informou que foi solicitado um aditamento de três meses na obra. “Isso porque nós tivemos algumas intercorrências em questão de projetos. Decidimos fazer o ar condicionado central, então com isso o projeto estava de um jeito e tivemos que refazer”, disse. Ainda assim, as obras devem ser concluídas ainda em 2018.

“Na sequência da finalização da obra, a gente já vai estar com todo o restante do projeto pronto”, explicou a secretária, apontando que o início do atendimento ao público deve se dar no começo de 2019. Durante a audiência, um munícipe questionou a ausência de UTI (unidade de terapia intensiva) no novo Hospital Municipal. O diretor da Secretaria da Saúde, Ricardo Mesquita, justificou ao cidadão.

“Vão ser (oferecidas) cirurgias de baixa e média complexidade, que teoricamente não precisam de internação de terapia intensiva. Por isso que era Hospital Dia: o paciente interna de manhã e sai à tarde. Numa necessidade, nós temos duas semi-intensiva”, explica Mesquita, apontando que o paciente pode ser transferido à UTI do Hospital São Camilo ou mesmo o Hospital Regional.

Outros assuntos foram tratados durante as quase duas horas de audiência, como a falta de médicos neurologistas na rede municipal – o que a secretária disse que está consciente e pretende sanar, porém, a falta de recursos a impede de contratar mais profissionais.

A audiência, presidida pelo vereador Normino da Rádio, contou com a presença ainda dos vereadores Giva, Mané da Saúde, Thiago Gonçales, Maria do Carmo Piunti, Wilson da Farmácia, Henrique de Paula e Sergio Castanheira, além do controlador geral Ricardo Giordani.

Faltas

O diretor Ricardo Mesquita também comentou um problema que a Secretaria da Saúde vem enfrentando: pacientes faltarem a consultas marcadas. “As pessoas marcam e não vão”, alegou, informando ainda que o próprio munícipe que queixou sobre a demora para marcação de procedimentos acabou não levando seu filho a uma consulta agendada. “Nós estamos pedindo para a população: se não por qualquer motivo não conseguirem ir às consultas, avisem a secretaria, avise a UBS”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *