Em fiscalização conjunta, Secom e Vigilância Sanitária notificam loja

Por Daniel Nápoli

Na última sexta-feira (08), o presidente do Sindicato dos Empregados do Comércio de Itu e Região (Secom) e vereador Luciano Ribeiro esteve juntamente com a equipe de Vigilância Sanitária da cidade em uma loja situada na Rua Floriano Peixoto cumprindo o código sanitário estadual, após o recebimento de denúncia. Na oportunidade, também esteve presente o engenheiro de trabalho Eduardo Valentim.

“Verificamos datas, questão sanitária e a empresa foi notificada a apresentar uma série de documentações que deveriam ser entregues e encontramos bastante produto vencido. A empresa foi multada e foi feita a retirada dos produtos para incinerar. Foi olhado também o ambiente de alimentação e repouso no horário de alimentação dos funcionários e realmente não tem lugar para lavar a mão, não tinha geladeira específica para guardar a comida de funcionário, o banheiro que está sendo utilizado pelos funcionários é de uso particular da família proprietária do local que mora nos fundos da loja, e então notificamos a reparar tudo o que está errado”, explicou Luciano Ribeiro.

O presidente do Secom complementa. “Identificamos também que todos os hidrantes e extintores estavam obstruídos com produtos comercializados no local. Tudo o que foi na área da saúde e segurança foi apurado no dia e, na área jurídica e trabalhista, está sendo apurado através de notificação e medida jurídica cabível”.

Ainda de acordo com Luciano, o Secom vem promovendo a inspeção ao lado da Vigilância Sanitária nas cidades de Salto, Porto Feliz e Indaiatuba. Por fim, o dirigente reforça. “Foi um trabalho pioneiro e a gente pretende, a medida da nossa possibilidade, a medida das denúncias que o Sindicato for tendo dos trabalhadores, onde o local esteja inadequado, a gente vai sim junto com a vigilância apurar, que é dever do órgão”.

A reportagem do JP também esteve em contato com a administração municipal, que informou que após denúncias trabalhista e sanitária acerca do estabelecimento, foi averiguada a parte cabível à Vigilância Sanitária, resultando na apreensão de alimentos vencidos, que foram recolhidos e levados ao aterro, enquanto que a questão trabalhista é de competência do Secom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *