Espaço Almeida Jr. tem seu restaurado aprovado em projeto do Governo de SP

Casarão foi degradado pela ação do tempo e estava fechado ao público (Foto: Arquivo)

Degradado pela ação do tempo e fechado ao público, o casarão que abrigava o Espaço Cultural Almeida Júnior – localizado na Rua Paula Souza, no Centro – está mais próximo do restauro. Graças a reaproximação da Prefeitura de Itu, por meio da Secretaria Municipal de Cultura de Patrimônio Histórico, junto à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o projeto que visa a recuperação do imóvel histórico foi aprovado pelo ProAc (Programa de Ação Cultural).

“Nessa gestão estreitamos os laços com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, possibilitando o desenvolvimento e aprovação desse projeto que, além de recuperar um imóvel histórico de valor inestimável, ampliará nossa rica rede de museus, incrementando as atividades culturais e incrementando a economia local com a criação de novos postos de trabalho”, explica Maitê Velho, secretária de Cultura e Patrimônio Histórico da Estância Turística de Itu.

O edifício, que é um raro exemplar dos sobradões de meados do século XIX, deverá abrigar uma extensão do Museu de Arte Sacra de São Paulo, contando com parte do acervo inédito da instituição. O Espaço Almeida Júnior sediará também dois museus municipais: MAHMI (Museu e Arquivo Histórico Municipal Synésio de Sampaio Góes) e o Museu de Música Sacra e Arte Religiosa Padre Jesuíno do Monte Carmelo.

Além do desenvolvimento de revitalização do imóvel, a Prefeitura de Itu, desde 2017, tem se empenhado na conservação da edificação, retirando toda carga de incêndio, desinfestando o prédio da contaminação de pombos e de cupins, além de ter higienizado o local. Ainda não há prazos para o início do restauro, uma vez que o projeto aguarda captação de recursos dentro do referido programa estadual.

Durante recentes inspeções, conduzias por técnicos do Museu de Arte Sacra, IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) e da Secretaria Municipal, foi descoberto que o sistema construtivo do edifício foi realizado em Taipa Franco-Pombalina, tratando-se o caso de um documento arquitetônico preservado único em Itu e raríssimo em todo o Estado de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *