Estudantes opinam sobre nova data do ENEM 2020

Recentemente, o JP noticiou o adiamento do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) 2020, que aconteceria em novembro e agora será nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. A pandemia de Covid-19 provocou a alteração das datas. Nesta semana, a reportagem conversou com estudantes e uma professora para saber a opinião deles.

Estudante da E.E. “Pery Guarany Blackman”, Anna Gabrielly Pimenta de Carvalho, de 17 anos, que pretende cursar Música, não gostou da nova data para o exame. “Acredito que as novas datas estão muito próximas e, pelo fato do ano letivo ter sido totalmente fora do normal, eu creio que a mudança foi bem ruim”.

A jovem demonstra preocupação quanto ao seu desempenho. “Várias matérias estão ‘pendentes’. É novidade o ensino a distância para nós que somos acostumados com aulas presenciais, estamos aprendendo, mas não é a mesma coisa, espero que todos se saiam bem”.

Por outro lado, a aluna da E.E. “Rogério Lázaro Toccheton”, Manuela Ferraz de Lara, também de 17 anos, aprovou a mudança, com ressalvas. “Acho que foi bem razoável, apesar de ainda desesperador, como seria se não estivéssemos nessa pandemia. O ponto é que o Brasil tem uma história muito sofrida e com uma desigualdade imensa que nos afeta até os dias de hoje”.

A estudante acrescenta. “Contudo, acho que a data foi razoavelmente boa, é muito melhor do que um cancelamento, é claro, já que é uma das únicas formas de muitos conseguirem o futuro que desejam”.

Professora Coordenadora da E. E. “Professor Antônio Berreta”, Elaine Ferreira acredita que adiamento do ENEM deveria se dar de “maneira justa e democrática”. “Nesse sentido, a data definida para as provas não respeitou o princípio básico da democracia, uma vez que o resultado da enquete proposta pelo INEP não foi levado em consideração no momento da decisão”, pondera.

Para ela, a realização das provas do ENEM em janeiro de 2021 não atende as necessidades dos maiores interessados, os estudantes, que enfrentarão o desafio de superar a defasagem de aprendizagem ocorrida neste período de suspensão das aulas.

“Embora as escolas, em sua maioria, estejam se desdobrando para que seus estudantes não sejam totalmente prejudicados em relação ao preparo necessário para uma avaliação como esta, sabemos que o contato direto e o incentivo dos professores faz toda diferença na aprendizagem e para a autoestima dos estudantes, principalmente na rede pública de ensino, que normalmente já possui uma necessidade maior de esforços para que os estudantes possam concorrer de forma justa com os estudantes das redes particular de ensino”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *