Gazzola apresenta planejamento de obras até 2024 para segurança hídrica

Por André Roedel

Guilherme Gazzola falou por cerca de 40 minutos sobre a questão da água na cidade Foto: Reprodução/Facebook

O prefeito Guilherme Gazzola promoveu uma transmissão ao vivo em sua página no Facebook na última segunda-feira (02), onde discorreu sobre o tema “água”. O chefe do Executivo apresentou a situação do sistema hídrico, respondeu a perguntas enviadas pela população e traçou um planejamento de obras da CIS (Companhia Ituana de Saneamento) até 2024.

O prefeito afirmou que tudo o que já foi feito “valeu a pena” e que, em sua gestão, não houve um dia de racionamento. “Se você ver as cidades do lado, todas elas tiveram racionamento. Só a cidade de Itu que não”, disse. Segundo ele, isso é fruto de um “trabalho árduo” das equipes da CIS e da Prefeitura.

Na live, Gazzola começou mostrando matérias dos últimos anos, publicadas em sites locais e na grande imprensa, que informavam racionamento na cidade. O prefeito disse que em 2014 o município viveu uma “verdadeira catástrofe”. Em seguida, mostrou um gráfico referente aos dias sem água em Itu daquele ano para cá.

Segundo os dados apresentados, em 2014 foram 282 dias sem água, tendo mais de 30 dias seguidos sem abastecimento. Em 2019, esse número caiu para 74 – máximo de três dias sem água. Gazzola pontou que a criação da CIS foi o principal marco para que isso fosse alcançado. “Foi uma postura ousada. Nós sabíamos que era necessário encontrar uma solução para a questão da água”, disse.

Após isso, o prefeito explicou o sistema de abastecimento da cidade, dividindo entre região central e Pirapitingui. De acordo com o chefe do Executivo, com a finalização do Sistema Mombaça, o problema de captação de água na área central se provou resolvido.

Ele também falou sobre a situação das obras estruturais promovidas nas duas localidades, em especial a troca de tubulação na Rua Floriano Peixoto e a construção do Sistema Pirajibu. “Nunca ninguém teve coragem, porque é uma obra que não é eleitoreira”, disse Gazzola sobre as intervenções na via central.

Gazzola rebateu as reclamações sobre o momento em que as obras na Floriano aconteceram. “É preciso fechar uma rua, é preciso fazer manutenção em um lugar mais difícil da cidade… Nós vamos fazer. Vamos informar, fazer a sinalização correta. Mesmo que isso cause alguns dissabores. É pensar no futuro”, apontou o prefeito. “Não existe uma data ideal”, disse ao responder perguntas dos internautas. Segundo ele, os comerciantes foram avisados e a CIS se comprometeu a seguir com a obra até o fim de novembro, sem adentrar o mês de dezembro.

Na região do Pira, Gazzola disse que no local houve um crescimento desordenado e que lá se estabeleceu uma “política populista”. “Ali, para toda aquela população, só tem uma captação, que é a do São Miguel. Aquela região foi crescendo, mas não se investiu nada”, declarou.

Vila Ianni
Gazzola afirmou na live que a CIS já licitou a adutora para a região da Vila Ianni. A apresentação da empresa que será responsável pela obra está programada para esta quarta-feira (04). “Uma grande obra que vai resolver de forma definitiva o problema não só da Vila Ianni, a Vila Mariah também”, disse.

Com investimento de mais de R$ 4 milhões, será construído além da adutora um novo reservatório de água tratada (um pouco menor do que aquele instalado na ETA do Rancho Grande, de 3 milhões de litros) e instalada uma bomba de pressurização na rede.

Futuro
Já para o fim da live, Gazzola disse que seu governo traçou um planejamento que vai até 2024 – ou seja, ultrapassando seu período de mandato. “Não adianta pensar só no hoje”, alegou. O resultado esperado com esse cronograma de obras é a segurança hídrica da cidade, “em que definitivamente a cidade de Itu vai poder dizer que resolveu o seu maior problema histórico”, nas palavras do prefeito.

Entre as medidas anunciadas, está a setorização para melhoria na distribuição da água, novo reservatório, troca de redes de água e esgoto e um plano para reduzir o desperdício de água tratada. A maior novidade, que Gazzola não se aprofundou, é a uma captação de água no Cajuru, que promete intensificar a oferta de água bruta para a região do Pirapitingui.

Investimentos futuros da CIS

2020 – Obras Pirajibu | Obras Vila Ianni

2021 – Setorização (melhorias na distribuição da pressão da água nas ruas da cidade – Centro e Pirapitingui) | Reforma e ampliação (novos filtros) na ETA do Rancho Grande

2022 – Projeto especial de redução de perdas (desperdício de água) | Instalação de registros da setorização

2023 – Troca de redes de água e esgoto em novos pontos da cidade | Novo reservatório de água tratada de 2 milhões de litros na ETA 8

2024 – Nova captação de água: Cajuru | Fim das obras estruturais de urgência | Manutenções periódicas e ampliação de redes dentro das previsões de crescimento demográfico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *