Herculano Passos apoia Baleia Rossi para a presidência da Câmara Federal

Herculano Passos apoia a candidatura de Baleia Rossi, que lançou campanha nesta semana (Foto: Reprodução/Facebook)

O deputado federal e ex-prefeito de Itu, Herculano Passos (MDB-SP), irá apoiar o correligionário Baleia Rossi (MDB-SP) para a presidência da Câmara Federal. Na última quarta-feira (06), o parlamentar ituano esteve no lançamento da candidatura do colega, que é líder do Movimento Democrático Brasileiro na Casa de Leis.

 “Com uma frente ampla, formada por 11 partidos, somamos forças para manter a democracia viva e a Câmara livre”, declarou Herculano em sua página no Facebook. A candidatura de Rossi foi oficializada em um ato na Câmara com lideranças dos partidos aliados (PT, PSL, MDB, PSB, PSDB, DEM, PDT, Cidadania, PV, PCdoB e Rede). Juntas, as siglas somam 261 parlamentares, mas a votação é secreta e, por isso, pode haver votos divergentes.

A votação ainda não tem data definida, mas deve ocorrer no dia 2 de fevereiro. O principal adversário de Baleia Rossi será o deputado Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Atualmente, o bloco de Lira é composto pelos partidos PL, PP, PSD, Republicanos, Solidariedade, Pros, Patriota, PSC e Avante. Juntas, as siglas reúnem 196 parlamentares. Segundo o site G1, o PTB também deve se unir ao grupo.

 Vale destacar que Herculano foi vice-líder do governo. Ele deixou o cargo em maio do ano passado, sendo substituído por Bolsonaro pelo deputado Evair de Melo (PP-ES). Na oportunidade, porém, Herculano Passos disse à reportagem do Periscópio que ele próprio solicitou a dispensa do cargo. Além de Rossi e Lira, correm por fora as candidaturas dos deputados Fábio Ramalho (MDB-MG), Capitão Augusto (PL-SP) e André Janones (Avante-MG).

Na Alesp

 A votação para a presidência da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) também está mexendo com os bastidores políticos. A deputada estadual Mônica Seixas (PSOL), que é de Itu, afirmou que sua sigla não votará na opção que une PSDB, PT e DEM, que deverá lançar a candidatura de Carlão Pignatari (PSDB), líder do governador João Doria (PSDB).

 “Trabalhei ativamente pra que essa unidade não acontecesse durante os últimos meses. É uma tragédia que se mantenha na Assembleia essa cultura de ter que trocar votos por posições em comissões. O candidato do Doria representará os interesses do governo com mão de ferro e com o regimento tão antiquado da Assembleia Legislativa”, disse a líder do PSOL à “Folha de S. Paulo”.

 Pignatari deve substituir o atual presidente da Casa, Cauê Macris (PSDB) – que exerceu o cargo por quatro anos e também é aliado do governador. A eleição para a nova mesa diretora da Alesp acontece só em 15 de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *