Informal – 07/10/20

Por André Roedel
redacao@jornalperiscopio.com.br


PENSE NISSO
“Quando a aflição aperta, quando o corpo se nos desmanda de dor e angústia, então é que se vê o animalzinho que somos.” (José Saramago)


Dia das Crianças
Já é uma tradição a festinha de Dia das Crianças do Projeto Que Seja. Todo ano, os participantes planejam algo muito legal e passam o dia com os pequenos. Esse ano, devido à pandemia, eles tiveram que fazer algo diferente. “Montamos vários kits com muita coisa que toda criança gosta de comer, e entregamos para eles, para que esse dia não passasse em branco. Gostaríamos de agradecer imensamente a todos que nos ajudaram, doando dinheiro, doces, disponibilizando o precioso tempo para montar cada kit, e também ao nosso colaborador que doou 400 litros de leite, sendo eles distribuídos em Itu, Salto e Cabreúva”, explicam os integrantes do Que Seja. Belo gesto!


Prêmio Machado
Depois de pouco mais de dois meses, as inscrições para o 1º Prêmio Machado DarkSide de Literatura, Quadrinhos e Outras Narrativas chegaram ao fim com um número emblemático. A premiação alcançou a importante marca de 5.849 projetos inscritos para concorrer ao prêmio de R$ 100 mil divididos nas categorias Romance e Contos; Histórias em Quadrinhos; Obras de Não-Ficção; Outras Narrativas; e Desenvolvimento de Projeto. As obras selecionadas serão contempladas com um contrato de edição de R$ 20 mil cada. A DarkSide entra agora na etapa de avaliação dos projetos até dia 13 de novembro, quando serão anunciados os vencedores.


Casa na árvore
A apresentadora Ana Hickmann usou as redes sociais no domingo (04) para mostrar um sonho que realizou ao lado do marido, o empresário Alexandre Correa, e do filho Alexandre Junior, de 5 anos: a casa na árvore em sua propriedade localizada no condomínio City Castelo, em Itu. A casa de Ana é sempre alvo de matérias por conta de algumas extravagâncias, por assim dizer.


Febre dos avatares
A Facebook lançou na segunda-feira (05) um novo sistema de avatares customizados em forma de figurinhas no Brasil. O recurso havia sido apresentado em maio deste ano, mas estava disponível em apenas algumas regiões. Os avatares estarão disponíveis através de 20 variações de figurinhas com frases e reações em português – sendo que dez delas já foram liberadas. As figurinhas trazem interação para situações do dia a dia. Além das interações, as figurinhas também trazem um avatar usuário, que pode ser customizado com diferentes aparências e roupas. A cada 10 publicações na rede social, 11 são avatares!!! Você já fez o seu?


Multicampeã em Itu
Patinadores de diversas cidades do Estado vieram para Itu no último sábado (03) para verem de perto a atleta de patinação Fabiola da Silva, oito vezes campeã do X-Games, e aproveitar para conhecer a Fabrika do Skate, maior pista indoor da América Latina. “Fiquei muito feliz por ter vindo. Veio gente de muito longe. A Fabrika do Skate me deu essa oportunidade. O esporte é transformador, ele transforma vidas. Só tenho a agradecer de coração. Esse é o primeiro de muitos aqui na Fabrika”, afirmou a atleta ao site da Fabrika, que funciona de quarta a domingo, das 12h às 20h, e fica localizada na Rua Maria José Cristofoleti, 25, Parque Industrial.

>>> DICA DE LIVRO

Vozes de Tchernóbil
Em 26 de abril de 1986, uma explosão seguida de incêndio na usina nuclear de Tchernóbil, na Ucrânia – então parte da finada União Soviética -, provocou uma catástrofe sem precedentes em toda a era nuclear: uma quantidade imensa de partículas radioativas foi lançada na atmosfera da URSS e em boa parte da Europa. Tão grave quanto o acontecimento foi a postura dos governantes e gestores soviéticos. Esquivavam-se da verdade e expunham trabalhadores, cientistas e soldados à morte durante os serviços de reparo na usina. Pessoas comuns, que mantinham a fé no grande império comunista, recebiam poucas informações, numa luta inglória, em que pás eram usadas para combater o átomo. A morte chegava em poucos dias. É por meio das múltiplas vozes – de viúvas, trabalhadores afetados, cientistas ainda debilitados pela experiência, soldados, gente do povo – que Svetlana Aleksiévitch constrói esse livro arrebatador, a um só tempo, relato e testemunho de uma tragédia quase indizível. Cenas terríveis, acontecimentos dramáticos, episódios patéticos, tudo na história de Tchernóbil aparece com a força das melhores reportagens jornalísticas e a potência dos maiores romances literários. Eis uma obra-prima do nosso tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *