Informal – 29/07/20

Por André Roedel
redacao@jornalperiscopio.com.br


PENSE NISSO
“O orgulho de quem não pode construir é destruir.” (Alexandre Dumas)


Em casa
Sem poder fazer o que mais gosta (tocar folk e blues Brasil afora) por conta da pandemia, o músico ituano Murillo Augustus tem sido cada vez mais presente nas redes sociais. Conhecido por ser um one-man band (ou banda de um homem só), ele tem feito transmissões ao vivo em seu canal do YouTube praticamente todos os sábados, a partir das 20h. Além de boa música, as lives contam com sorteio de brindes e muita descontração no chat. Vale a pena conferir. O endereço é youtube.com/murilloaugustus.


Volta indefinida
O retorno dos cinemas, que foram liberados pelo Governo do Estado para os municípios que ficarem pelo menos 28 dias na fase amarela do Plano SP (como os da Grande São Paulo), tornou-se uma incógnita. Isso porque não há previsão de muitas estreias nos próximos meses e, ao menos na capital, a Prefeitura esperou a mudança para a fase verde. Resta a “Tenet”, novo suspense do diretor Christopher Nolan adiado várias vezes, a chance de ser o primeiro filme a ganhar as telonas após mais de quatro meses sem lançamentos. A Warner Bros. anunciou que o longa-metragem deve chegar aos cinemas brasileiros no dia 10 de setembro. Será que até lá as coisas estarão controladas? Resta aguardar…


Lançamento do clipe
No próximo dia 9 de agosto acontece o lançamento do clipe oficial da música “Melancolia Bobdyliana”, interpretada pelo violeiro Luiz Ferreira. O vídeo poderá ser conferido no canal do músico no YouTube (bit.ly/canal-luiz-ferreira). Composta por Murillo Augustus e João Affonso, a música agora ganha tons caipiras e um clipe especial com a participação da atriz ituana Debora Nunes. Imperdível! Na foto de Dayanne Michelato, Debora ao lado de Luiz Ferreira.


Razões para acreditar
A Starrett, que tem unidade em Itu, promoveu em julho a campanha #ferramentasdobem. Toda renda gerada com as vendas de sua loja virtual foram revertidas em 160 cestas básicas, que entregues na última sexta-feira (24) ao Fundo Social de Solidariedade (Funssol) de Itu. Segundo a empresa, as doações reforçam a ação que já vem sendo desenvolvida pelo município desde o início da pandemia, na assistência a famílias carentes cadastradas nos CRAS. A entrega foi feita pelo presidente da Starrett, Christian Arntsen, o diretor de Recursos Humanos e Tecnologia da Informação, Francisco Bertagnoli Junior e o gerente de Marketing, Marcio Santos e recebidas pela primeira-dama e presidente do Funssol Patrícia Müller Gazzola e o secretário de Governo, Rodrigo Tomba. Bela ação!


Duelo de autores
A Editora Jangada promove no próximo dia 7 de agosto, às 19h, mais uma edição do duelo de autores, dessa vez com participação do escritor e jornalista ituano Paulo Stucchi. Autor de “A Filha do Reich”, ele fala sobre “Missão Carbúnculo”, de Gustavo Rosseb, que por sua vez fala sobre o livro de Stucchi. Um bate-papo sobre inspirações, criações e amor pela escrita que poderá ser conferido ao vivo em instagram.com/editorajangada.

>>> DICA DE LEITURA

Grama, de Keum Suk Gendry-Kim
A história em quadrinhos “Grama” é uma poderosa graphic novel antiguerra que narra a história real da sul-coreana Ok-sun Lee, vendida pela própria família na infância e forçada à escravidão sexual pelo Exército Imperial Japonês. Ela é uma das várias mulheres que foram capturadas para servir aos soldados nas chamadas “casas de conforto”, espalhadas pela China e por territórios ocupados pelo Japão durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa e a Segunda Guerra Mundial, em um dos episódios mais vergonhosos do passado da humanidade. Ok-sun Lee, hoje com mais de 90 anos, se tornou uma importante ativista pela indenização das “mulheres de conforto”, e é por meio de seus relatos à autora Keum Suk Gendry-Kim que acompanhamos sua triste história de vida. Lançada na Coreia do Sul em 2017, a obra já ganhou publicações em outros seis idiomas e tem colecionado prêmios e elogios da crítica no mundo todo. Da editora Pipoca & Nanquim, o livro custa R$ 79,90.


#TBTdeQuarta: Enquanto a Prefeitura vai modernizando a Rua Floriano Peixoto, com a instalação do mobiliário para torná-la um boulevard, que tal lembrar de como a principal via do comércio era no passado? Nesta foto de 1972, creditada à Foto Katahira e disponível no acervo do IBGE, vemos a rua que já foi chamada de Rua do Comércio e Rua João Pessoa com sua típica movimentação. Quanta mudança…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *