Itu foi a terceira cidade da região que mais gerou empregos em 2018

Por André Roedel

O Ministério da Economia divulgou na última quarta-feira (23) os dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), antigamente vinculado ao extinto Ministério do Trabalho. E, segundo os números apresentados e consultados pela reportagem do Periscópio, Itu foi a terceira cidade da microrregião de Sorocaba (que compreende 15 municípios) na geração de empregos.

Nos 12 meses do ano passado, o município teve uma variação positiva de 963 postos de trabalho. No total, foram 19.854 admissões contra 18.891 demissões. Com exceção da agropecuária (menos 133 vagas) e administração pública (menos 18), todos os setores tiveram saldo positivo.

Destaque para o setor de serviços, que teve 9.428 admissões ante 8.755 demissões, resultando um saldo de 673 postos de trabalho. A indústria de transformação teve variação absoluta de 277 vagas, com 4.578 admissões e 4.301 demissões no período. Apesar da variação positiva no acumulado do ano, o mês de dezembro apresentou saldo negativo. Foram 1.218 admissões e 1.550 demissões, resultando em menos 332 vagas no geral.

O resultado de 2018 é o melhor de Itu em seis anos, pois entre 2013 e 2017 a cidade só havia registrado saldos negativos na geração de empregos. Em 2012 foi a última vez que o mercado de trabalho havia apresentado variação positiva, com saldo de 1.960.

Para o secretário municipal de Planejamento, Plínio Bernardi Júnior, grande parte dessa melhora se deve ao país estar dando sinais de que está saindo da crise. “Ainda dependemos da aprovação de algumas reformas do governo federal e também de mais investimentos no país, mas os aumentos na demanda de empresas e na quantidade de empregos formais sinalizam uma recuperação na economia”, comenta.

Ainda de acordo com o secretário, outra informação que reforça essa expectativa foi o aumento do repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) do governo do Estado. “Neste aspecto, Itu também subiu em 2018, obtendo, coincidentemente, o melhor índice desde 2012”, informa.

Plínio pontua algumas ações da Prefeitura para fomento do emprego em Itu. “De início já nos dedicamos à facilitação de aberturas de empresas, desburocratizando e tornando o processo mais rápido. Houve também a mudança na lei de zoneamento, que ficou mais aberta, permitindo agora que alguns corredores possam receber empresas. Em 2017 e 2018, batemos recordes na abertura de pequenas e micro empresas, que geram atualmente mais empregos e renda que as grandes, sustentando a economia local”.

Ele prossegue: “Nosso atendimento pelo Sebrae bateu recordes e hoje somos referência para toda a região, de acordo com o próprio Sebrae e Jucesp. Prova disso é que toda semana representantes de uma cidade diferente visitam Itu para conhecer no nosso sistema. No momento, estamos trabalhando em mudanças na lei de incentivo, deixando-a mais atraente para empresas de grande porte também”.

Nova secretaria
O secretário também comenta a criação da Secretaria Municipal de Emprego, realizada através da Reforma Administrativa do fim do ano passado. “Essa ação visa aprofundar nossa visão nas ações de criação de empregos. Nos próximos dois anos as palavras-chaves da administração serão emprego e renda. O objetivo é aumentar o nível de renda da população ituana, que deverá refletir em todos os setores da gestão pública”, pontua. O nome para ocupar a pasta ainda não foi revelado.

Brasil e região
À frente de Itu na região aparece a cidade de Salto em segundo lugar, registrando 10.544 admissões e 9.376 demissões (uma variação de 1.168 postos de trabalho). Para a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (Sdett), Anita de Moraes, o trabalho de fortalecimento junto às empresas e busca por novos negócios continua em 2019.

“O trabalho iniciado em 2018 com a visita às empresas continuará neste ano. Além disso, temos buscado a vinda de novos negócios em diversos setores, bem como fortalecido a mão de obra com cursos de capacitação, encaminhamentos para entrevista por meio do Posto de Atendimento ao Trabalhador”, destaca a secretária.

Já Sorocaba é a primeira colocada na geração de empregos da microrregião em 2018, quando teve saldo de 2.325 vagas, com 73.391 admissões e 71.068 demissões. Na RMC (Região Metropolitana de Campinas), Indaiatuba encerrou 2018 como a segunda cidade com o maior saldo na geração de empregos, ficando atrás apenas de Campinas. De janeiro a dezembro, Indaiá registrou saldo positivo de 2.094 postos de trabalho. Foram 29.189 admissões contra 27.095 demissões registradas.

No geral, o mercado de trabalho brasileiro criou 529.554 empregos com carteira assinada em 2018. O primeiro resultado positivo anual depois de três anos de retração no emprego também é o melhor desempenho desde 2013, quando foram gerados 1,138 milhão empregos. Os dados do Caged são públicos e podem ser consultados aqui.

As 10 melhores cidades da região em geração de empregos em 2018:

Cidade Saldo
Sorocaba 2.325 vagas
Salto 1.168 vagas
Itu 963 vagas
Iperó 523 vagas
Porto Feliz 447 vagas
Mairinque 440 vagas
São Roque 406 vagas
Cabreúva 320 vagas
Capela do Alto 281 vagas
Sarapuí 241 vagas

Fonte: Caged

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *