Lançamento do projeto “Ponto a Ponto” ocorre hoje em Itu com oficina

Crédito – Divulgação

Acontece hoje (19), a partir das 10h, no Espaço Trama (Rua Padre Bartolomeu Tadei, 9, Centro – antiga Fábrica São Pedro) o lançamento do projeto “Ponto a Ponto”, que foi premiado no Edital ProAC de Estímulo à Leitura em Bibliotecas Municipais que une literatura, artes manuais e rodas de conversas para a produção coletiva de Piqueniques Literários.

Criado por Élida Marques Produções Artísticas, idealizadora do Programa “Ler É Uma Viagem”, que há 15 anos desenvolve práticas leitoras, integrando diversas linguagens artísticas, o projeto “Ponto a Ponto” oferece: sessões de leitura pública, rodas de conversas, oficinas de mediação de leitura, oficinas de bordados e tecelagem manual e dois piqueniques literários nas bibliotecas públicas das cidades de Itu e Salto.

“Em todo nosso modo de pensar e fazer artístico, as artes manuais, têm funções e inspirações essenciais. Não só pelo resultado em si, que aparece nos figurinos, cenários e adereços, mas principalmente pelas possibilidades dos encontros intergeracionais e artísticos que surgem entre linhas, leituras, conversas e cantorias”, comenta Élida Marques, coordenadora e diretora artística do projeto.

O projeto reúne pessoas que acreditam na eficácia do fazer artesanal em conjunto com rodas de leitura, cantorias e conversas, como estratégia para atrair pessoas para o mundo das narrativas, de forma delicada e inusitada. Iniciando os trabalhos neste sábado, haverá a oficina “Tecendo memórias e trabalhos”, com Aline Zanatta e participações lítero-musicais de Élida Marques, Marlos Mateus e Camila Luiza

O intuito desta oficina será refletir de forma dinâmica e artesanal sobre o tema da memória, relacionando-a com o conceito tempo-espaço e trabalho. Ao mobilizar sujeitos e suas memórias, os relatos serão compreendidos como saberes em ação, transmissão e potencialmente transformadoras. Para tanto, vamos utilizar, imagens, relatos, poemas, objetos e textos para tecermos juntos uma construção coletiva sobre memória e os pontos que a ligam ao universo do trabalho e às lembranças do cotidiano.

Aline Zanatta, filha de tecelã, é historiadora, mestre em História Cultural/UNICAMP e Doutoranda na Faculdade de Educação/UNICAMP. Desde 2016 é educadora do Museu Republicano “Convenção de Itu/USP”, é integrante da Rede São Paulo de Memória e Museologia Social e do grupo de Cultura Popular Caixeiras das Nascentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *