Legislativo: 2ª sessão do ano tem mais discursos na palavra livre

Sessões estão contando com a presença de público, respeitando o distanciamento social (Foto: Divulgação/Câmara)

Ocorrida na terça-feira (09), a 2ª Sessão Ordinária de 2021 contou com a presença de todos os vereadores da Casa, exceto o Dr. Sérgio Castanheira (Cidadania), que está de licença-gala em virtude de seu casamento.

 Na Ordem do Dia e em primeira discussão, foi aprovado por unanimidade o Projeto de Lei Nº 03/2021, de autoria do prefeito Guilherme Gazzola (PL), que “dispõe sobre a desafetação de parte do sistema de lazer localizado no loteamento denominado ‘Jardim São Jorge’, no bairro São Luiz, e dá outras providências”.

 De acordo com a justificativa do Projeto, a desafetação tem como objetivo regularizar a intervenção ocorrida na Rua Profª Maria das Dores Luporini Sampaio, que ocupou parte do Sistema de Lazer, em cumprimento ao TAC – Termo de Ajustamento de Conduta.

 A propositura atende exigências do Registro de Imóveis. Alguns vereadores fizeram uso da palavra, apontando a necessidade da aprovação – inclusive opositores. Eduardo Ortiz (MDB), que é morador da região, explicou todo o histórico do local. “É um projeto que vem para deixar legal algo que já foi executado e que é bom para a população”, comentou.

 O PL Nº 03/2021 segue para votação em segunda discussão na próxima Sessão Ordinária, a ser realizada no dia 16 de fevereiro de 2021, às 16h – a sessão será realizada normalmente, já que o ponto facultativo foi suspenso. 

 Já p Projeto de Lei Nº 5/2021, que “declara de utilidade pública a ONG Projeto Bom Samaritano”, proposto pelo vereador Dr. Marcos Moraes (PSL), que entraria em 1ª discussão, foi adiado por cinco sessões a pedido do próprio autor. “Acredito que eu preciso aprofundar um pouco mais esse projeto”, disse ele.

Palavra Livre

 Fizeram uso da Palavra Livre os vereadores Maria do Carmo Piunti (PSC), Dr. Marcos Moraes, Dr. José Galvão (DEM), Thiago Gonçales (PL), Eduardo Ortiz, Normino da Rádio (Cidadania), Patrícia da ASPA (PSD) e Mané da Saúde (PDT). A questão da água foi o tema mais comentado.

  Maria do Carmo fez críticas ao prefeito Gazzola ao comentar sobre problemas de falta d’água na cidade. Ela disse que o prefeito “mentiu para se reeleger”. Galvão também falou sobre os problemas de desabastecimento, afirmando que, quando a água chega, vem “uma Coca-Cola”.

 Eduardo Ortiz também relatou ter recebido reclamações de falta d’água, informando que sempre a CIS tem relatado que se trata de manutenção de rede. “Precisamos de uma resposta mais efetiva”, afirmou.

O presidente Thiago Gonçales disse que é “no mínimo leviano dizer que alguém foi eleito mentindo”, em referência à fala de Maria do Carmo. “Nenhum prefeito na história de Itu fez o que a gestão Guilherme Gazzola fez pela água de Itu. Isso é nítido”, afirmou.

 O líder Mané da Saúde disse que conversou com o secretário adjunto de Governo, Henrique de Paula, para marcar uma reunião com o superintendente da CIS, Vincent Menu, que irá tratar sobre os problemas levantados pela oposição sobre a água. Ortiz pediu que a reunião englobe todos os vereadores.

Plano SP

Em sua fala, Galvão elogiou o deputado estadual Rodrigo Moraes (DEM) e o prefeito de Sorocaba, Rodrigo Manga (Republicanos), pelo empenho na tentativa de antecipação da reclassificação de fase da região metropolitana no Plano SP – o que de fato ocorreu: a RMS avançou da fase vermelha para a laranja uma semana antes do previsto pelo Governo.

 Já o líder Mané da Saúde disse que Itu contribuiu muito com isso, com os novos leitos instalados. “Todo mundo se empenhou, porque ninguém quer que o bar fique fechado, o restaurante fechado. Foi um conjunto”, argumentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *