Mais de 160 servidores públicos de Itu receberam o auxílio de forma indevida

Por André Roedel

Um levantamento feito pela Controladoria-Geral da União (CGU), divulgado nesta semana com exclusividade pelo jornal “Cruzeiro de Sul”, de Sorocaba, mostrou que 162 servidores públicos de Itu receberam indevidamente o auxílio emergencial de R$ 600 do Governo Federal. A reportagem do periódico sorocabano ainda mostra que o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo irá pedir providências junto aos envolvidos.

Em toda a região metropolitana, foram 1.065 agentes públicos que foram beneficiados irregularmente. Sorocaba lidera a lista, com 174 funcionários. Itu aparece em seguida. Porto Feliz tem 33 casos. Salto também aparece na lista da CGU, tendo 24 servidores que receberam o auxílio de forma indevido.

A categoria do funcionalismo público não se enquadra nas regras para receber o auxílio e não poderia sacar o dinheiro. A CGU disse que os cruzamentos feitos, relacionados ao mês de maio, indicam a existência de pagamentos a 318.369 agentes públicos incluídos como beneficiários do auxílio em todo o Brasil.

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) afirmou ao “Cruzeiro do Sul” que enviará a cada órgão ou entidade a lista de seus servidores que constam no levantamento para conhecimento e devidas providências junto aos envolvidos. Segundo o órgão fiscalizador, a inexistência de emprego formal é essencial para o recebimento do auxílio do governo federal.

Quem recebeu o auxílio emergencial, mas não preencheu os requisitos para ter direito ao benefício de três parcelas mensais de R$ 600, poderá devolver os valores recebidos indevidamente. O Ministério da Cidadania disponibilizou uma página na internet com o passo a passo para a devolução. Para conferir, basta acessar devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *