Museu FAMA expõe desenhos raros de Tarsila do Amaral

Um dos desenhos de Tarsila que serão expostos (Foto: Hugo Curti/FAMA)

A partir do dia 14 de março, cerca de 200 desenhos feitos pela artista modernista Tarsila do Amaral poderão ser vistos na Fábrica de Arte Marcos Amaro (FAMA), espaço mantido pelo artista e colecionador Marcos Amaro na antiga Fábrica São Pedro, em Itu. Esses desenhos estão há 50 anos longe do olhar do público. As informações são do “Estadão”.

Uma das curadoras da exposição, Aracy Amaral catalogou esses desenhos em 1969 e organizou nesse mesmo ano uma exposição no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro quando eles ainda eram propriedade de Tarsila, porém no início dos anos 1970, segundo a curadora, um lote desses desenhos foi parar na coleção Fakhouri.

Esse lote não foi apresentado para a catalogação e o acesso a ele foi negado pelo colecionador. Após sua morte, a viúva decidiu vender os desenhos. Para a exposição que acontece em Itu, esses desenhos estão sendo restaurados.

Apesar de ser mais conhecida como pintora, Tarsila foi uma excelente desenhista. Foi pelo desenho que a artista desenvolveu sua expressão cromática livre e sensual, como provam alguns esboços que estarão na exposição do Museu FAMA.

Esses desenhos serviriam como esboços preliminares de futuras pinturas, mas, no caso de Tarsila, eles representam obras autônomas que registram suas impressões dos vários lugares que visitou. Tarsila se manteve fiel ao desenho por mais de meio século, deixado em média 1.700 obras, entre croquis, estudos e ilustrações que ajudam a entender o projeto artístico do modernismo brasileiro.

A coleção de desenhos de Marcos Amaro cobre o período que vai de 1910 a 1940. Entre eles, figuram peças raras. A Fábrica de Arte Marcos Amaro fica localizada na Rua Padre Bartolomeu Tadei, 09, Vila São Francisco, e funciona de quarta-feira a domingo, das 10h às 17h. A exposição terá entrada franca. Mais informações podem ser obtidas pelo site famamuseu.org, pelo telefone (11) 4022-4828 ou pelo e-mail contato@fmarte.org.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *