Nova diretoria do Museu Paulista quer modernizar instalações do Museu Republicano

Museu Republicano é uma atração turístico-cultural importante para a cidade de Itu (Foto: Arquivo)

A professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), Rosaria Ono, e o professor do Instituto de Relações Internacionais (IRI), Amâncio Jorge de Oliveira, assumiram as funções de diretora e vice-diretor do Museu Paulista, pelos próximos quatro anos, com dois grandes desafios: concluir a reforma do edifício-monumento do Museu do Ipiranga e preparar as festividades do centenário do Museu Republicano “Convenção de Itu”. As informações são do “Jornal da USP”, em matéria de Adriana Cruz.

A inauguração do Museu do Ipiranga está prevista para setembro de 2022, ano em que se comemorará o bicentenário da Independência do Brasil. As obras de restauro, ampliação e modernização do museu são financiadas via Lei de Incentivo à Cultura por diversas empresas e conta, ainda, com a parceria da Fundação Banco do Brasil e da Caixa.

Em relação ao Museu Republicano, Rosaria explica à publicação da Universidade de São Paulo (USP) que, em 18 de abril de 2023, será comemorado o centenário da instituição, bem como os 150 anos da realização da Convenção de Itu, que dá nome ao museu.

+++ Periscópio Entrevista: “O lugar público está vivo”, declara Aline Zanatta, do Museu Republicano

O Museu Republicano é um braço das atividades de pesquisa, cultura e extensão do Museu Paulista no interior de São Paulo, além de ser uma atração turístico-cultural importante para a cidade de Itu. O museu possui importante acervo documental histórico do período republicano, além de objetos da memória da cidade, que oferece subsídios para uma rica programação cultural aos seus visitantes.

“Como etapa de preparação para essas festividades, o objetivo de nossa gestão é a modernização das instalações do museu para as exposições e outros eventos, além da adequação do edifício às condições de acessibilidade e de segurança contra incêndios e promoção da melhoria das condições de guarda do acervo de objetos”, explica a diretora.

“Cada um dos museus que integram o Museu Paulista apresenta características físicas bem distintas e tem seus desafios próprios. Pretendemos trabalhar na melhor integração das equipes para unir esforços e trocar experiências, pois o processo pelo qual tem passado o Museu do Ipiranga, guardadas as proporções, deverá passar o Museu Republicano. Essa integração deverá ocorrer tanto no âmbito das atividades-meio quanto das atividades-fim”, conclui Rosaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *