Periscópio Entrevista: Juninho Paulista

O pentacampeão mundial e atual gestor do Ituano, Juninho Paulista falou com exclusividade para o “Periscópio” nesta semana. Escaldado pelo erro de planejamento que levou o Galo a ficar cinco meses sem calendário no futebol profissional, Juninho reconheceu e mais, aprendeu com tudo e quer dar uma resposta vitoriosa para a temporada 2018. Os melhores momentos são transcritos aqui. A íntegra poderá ser vista em imagens em breve no Facebook (facebook.com/jornalperiscopioitu).

 

JP – O que você aprendeu com o erro de planejamento e como pode fazer disso um trampolim para dar a volta por cima?

Não é fácil dirigir. Você comanda uma quantidade de seres humanos e tem acertos e erros. Tivemos um erro na questão da montagem da equipe na Série D. Nós disputamos três vezes a Série D, batemos na trave, e desta vez, quando trouxemos o Roque Júnior, montamos um time diferente daquele do Campeonato Paulista e acabou não dando certo. Nós vamos aprendendo com os erros. Acho que estamos mais calejados, principalmente em termos de competição nacional. Tenho certeza de que quando passarmos esse estágio da Série D, outros acessos serão bem mais palpáveis.

 

JP – Qual o calendário para 2018?

No profissional teremos Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Copa Paulista. Na base, desde o Sub-11, 13, 15, 17 e Sub-20 iremos disputar os campeonatos Paulista, além da Copa São Paulo de Futebol Júnior, que é Sub-20 e começa agora em janeiro.

 

JP – Na Copa São Paulo, o Ituano já vai criando uma tradição de boas participações.

Sim, seremos sede pelo quarto ano seguido. Nosso sucesso acaba sendo fruto do trabalho que vem sendo feito na base. Nós tivemos a geração do Guilherme, Léo, jogadores que hoje estão no profissional e agora estamos com essa geração muito promissora. Acho que é uma das melhores até agora na minha gestão. A gente almeja chegar cada vez mais longe.

 

JP – Na base, o Ituano está revelando jogadores? Está cumprindo esse papel?

Na base procuramos investir primeiro no ser humano, depois no atleta. Pensando nisso, hoje temos psicólogo, assistente social, temos enfermeiro, plano de saúde… conquistamos o selo de equipe formadora. A gente sabe que é o futuro do clube que vai nos dar a sustentação num planejamento de médio e longo prazo. Nós temos um diferencial que é dar oportunidade; principalmente agora com o Vinícius [Bergantim] nós vamos dar oportunidade aos garotos até de chegar ao profissional.

 

JP – Mas o Ituano inova também em revelar treinadores. Foi assim com o Doriva; será assim com o Vinícius?

(Risos) Dentro desse nosso planejamento, não apenas os jogadores, mas também os profissionais da comissão terão oportunidades. Acho que chegou a hora do Vinícius assumir essa responsabilidade. Assim como o Doriva, ele está preparadíssimo e tenho confiança em seu trabalho.

 

JP – O Ituano está empossando uma nova diretoria. Como você vê isso?

Desde quando eu cheguei, em 2009, com a diretoria do Major [Vieira] eu nunca tive problemas. Depois veio o Flávio Antunes… até a chegada do Ricardo Giordani, eu nunca tive problemas com ninguém. Espero que assim continue.

 

JP – E com relação as parcerias?

Estou no clube desde 2009 e até agora não atingimos um equilíbrio financeiro. Então procuramos parceiros para que não fiquemos dependendo apenas de resultados. A parceria com o Grupo Gaia surgiu com o Cafu, que conhecia o pessoal. Eles vieram aqui, conheceram o Ituano, eu fui lá e conheci o Grupo Gaia e as maneiras de administrar eram parecidas; então houve uma sinergia. Não pensamos em conquistar as coisas a qualquer preço… queremos conquistar da maneira correta. Nós tratamos o resultado como consequência, não como o primordial e acredito que essa parceria deva render bons frutos.

 

JP – Voltando ao Vinícius Bergantim, muitos dizem que é competente, outros que ainda é jovem para o tamanho do Paulistão…

O Vinícius foi um jogador muito competente e é um treinador muito competente. Teve sucesso treinando o Sub-20 e foi auxiliar do Tarcísio [Pugliese] durante dois anos. Ele passou por Campeonato Paulista, Copa do Brasil e vem sempre se atualizando. O Vinícius tem a própria identidade, enxerga o futebol e tem mais ou menos a filosofia da gente e acredito que esteja preparado para encarar esse desafio.

 

JP – Para finalizar: até onde o Ituano poderá chegar no Campeonato Paulista?

Eu estou com uma expectativa muito boa. Talvez seja a equipe mais técnica que já tenhamos montado. É claro que sempre trabalhamos com uma mescla de jogadores jovens e experientes, mas acho que essa mescla é planejada, é consciente. O importante é que são jogadores técnicos, agressivos, rápidos, e esse é o perfil que estamos buscando. No Paulistão-18 estamos montando um perfil que mais se adéqua ao que buscamos. Nos últimos anos batemos na trave em termos de classificação e a minha expectativa é que não pequemos em detalhes e que possamos alcançar o objetivo que é a classificação. E depois, classificados, temos que ir passo a passo, como foi em 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *