Profissionais da segurança pública começam a se vacinar contra a Covid-19

Soldado PM Rafael Ladeira descreve a sensação de receber a primeira dose do imunizante (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Na última segunda-feira (05), profissionais de segurança pública começaram a receber a vacina contra a Covid-19 na cidade de Itu. A primeira dose de vacinação para os trabalhadores da área seguirão até esta quarta-feira (07), no auditório da Prefeitura de Itu, das 17h às 20h. Nos três dias de vacinação em Itu, já agendados pelo Governo do Estado, receberão a 1ª dose da vacina de Oxford (AstraZeneca) os policiais militares, civis, além de bombeiros e guardas civis municipais.

Além de profissionais de Itu, os trabalhadores de segurança pública de Salto, Porto Feliz, Tietê, São Roque, Mairinque, Araçariguama e Jumirim, municípios que compreendem a área de cobertura do 50º Batalhão de Polícia Militar do Interior, com sede em Itu, também foram vacinados.

Ao todo, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo disponibilizou 1.349 doses para aplicação na cidade de Itu. O sargento Marcelo Gomes Pires foi o primeiro profissional a ser vacinado. No primeiro dia de vacinação, receberam a primeira dose 146 policiais militares, 15 bombeiros e 157 guardas civis municipais (sendo 73 deles de Itu).

Entre os vacinados está o soldado PM Rafael Ladeira, que ao Periscópio comentou a respeito. “Eu me sinto lisonjeado, e será um dia inesquecível, apesar de ter o desejo que todas as pessoas sejam vacinadas e espero ansiosamente por isso. Para nós, profissionais da segurança pública que ficamos em contato direto com o vírus, vai diminuir a infecção causada”, comenta.

“O ideal é tomar as duas doses, embora não tenha a imunização de imediato, mas a longo prazo seremos imunizados. Além disso, mesmo com a vacina, manter a higiene, e os demais protocolos de medidas contra a Covid-19 farão a diferença”, acrescenta.

Ainda durante a ação, os profissionais que estão se vacinando aproveitaram para doar alimentos não-perecíveis, que serão entregues aos moradores em situação de vulnerabilidade através de ONG. De acordo com o 50º Batalhão de Polícia Militar do Interior, organizador da vacinação, o profissional que se recusar a se vacinar terá de preencher um formulário. Porém, até o fechamento desta edição, não havia nenhum registro de recusa na cidade de Itu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *