Projetos são votados por unanimidade na Câmara Municipal de Itu

Após várias semanas com longas sessões e discussões acaloradas, na última terça-feira (04) todos os projetos em pauta na Câmara foram votados por unanimidade. Antes das votações, o ator e diretor Juliano Mazurchi esteve no plenário fazendo o uso da palavra livre ressaltando a importância da arte na vida de crianças, adolescentes e adultos. “É muito importante que isso não se acabe, que isso seja cada vez mais incentivado”. Juliano também cobrou incentivos para a cultura e teatro em Itu, relembrando alguns programas que atendiam essas áreas, como o Programa Estudantil de Teatro Ituano, e sobre a Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Depois da palavra livre, foram votados em primeira discussão três projetos de denominação de via pública, de autoria de Thiago Gonçales (PR), Giva e Wilson da Farmácia (SD), o projeto de inclusão da quermesse de São João Batista no calendário de eventos oficiais da cidade e quatro projetos de autoria do executivo.

O projeto de lei nº 108/2018 autoriza o executivo municipal a conceder subvenção à Associação de Socorro e Proteção aos Animais de Itu no valor de pouco mais de R$ 69 mil parcelado em 12 meses. O vereador José Galvão (DEM) elogiou o projeto. “É um projeto extremamente importante de ser votado, porque é uma entidade que sem dúvida nenhuma tem um trabalho reconhecido aqui na nossa cidade”. Galvão também fez menção à atuação do vereador Sérgio Castenheira (PSD) na causa animal.

Ao JP, a fundadora da ASPA Patrícia Gollitsch Daunt declarou estar muito feliz com a aprovação do subsídio e agradeceu aos envolvidos. “Temos uma parceria muito grande com a prefeitura e o prefeito Guilherme Gazzola. Ele entende positivamente o trabalho que fazemos para a cidade. Fez rapidamente a lei e o presidente da Câmara também colocou rapidamente para votação. Todos conhecem o trabalho de 12 anos da associação. Muita satisfação, só tenho a agradecer”, finalizou.

Outro projeto votado foi para a autorização do executivo a proceder à doação de um imóvel urbano localizado na Avenida Galileu Bicudo para a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU) – que se tornará um conjunto habitacional, conforme revelado no JP há duas semanas. O líder do prefeito, Giva (PROS), comentou sobre o fim social do projeto. “Com certeza será o primeiro de muitos”.

Foi aprovado também, sem nenhuma discussão, o projeto de lei nº 110/2018 que altera a redação da ementa e do artigo 1º da lei nº 2.804, de 31 de março de 1986. Por fim, foi votado o projeto que dispõe sobre a criação de vagas para os cargos públicos de auxiliar de monitor da educação e inspetor de alunos.

Wilson da Farmácia (SD) comentou a importância do projeto para os cargos que estão “carentes” e para a população que precisa trabalhar e não tem oportunidade de emprego. Maria do Carmo Piunti (PSC) contestou, já que o projeto fala de criação da vaga, e não contratação. Ricardo Giordani (PTB) rebateu dizendo que “ninguém vai criar cargos à toa se não for para preencher”. Dito Roque (Podemos) também comentou os benefícios do projeto. “Serão beneficiadas aquelas pessoas que não tiveram condições de ter uma escolaridade de nível médio ou superior”.

A última sessão ordinária da Câmara ocorre na terça-feira (11), às 16h. Na mesma semana, o presidente Mané da Saúde (PRB) deverá convocar duas sessões extraordinárias e mais a sessão especial para eleição da mesa diretora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *