Sapateado: diversão e benefícios à saúde em um só estilo de dança!

Atividades físicas fazem bem à saúde, proporcionam vitalidade a quem pratica e são divertidas para descontrair. Jazz, ballet, dança do ventre e dança de salão, por exemplo, são modalidades ótimas para o bem-estar, mas o sapateado não fica de fora! Esse estilo de dança é chamado de 3 em 1, pois engloba som, movimento e espetáculo!

Sapateado é o estilo de dança no qual os dançarinos utilizam sapatos especiais – criados em 1800, aproximadamente, especialmente para a prática – para criar sons e movimentos únicos que só o sapato permite, pois estes têm chapas de metal afixadas na parte da frente e nos calcanhares e, quando em contato com o solo e através de diferentes movimentos realizados com os pés, emitem diversificados sons, estimulando o improviso e a criatividade dos bailarinos.

Hoje em dia, o sapateado é uma dança apreciada no mundo todo, tendo um forte peso artístico e teatral, pois além de ser uma dança que exige criatividade de quem pratica, também é um excelente exercício físico, que trabalha o corpo e a mente, além de exigir o trabalho em grupo para que os sons sejam sincronizados entre os dançarinos.

A história do sapateado

Não há registros históricos que confirmem datas e locais nos quais o sapateado surgiu, mas as primeiras manifestações a respeito datam o século 5. No período da Revolução Industrial, pouco depois disso, os operários costumavam utilizar tamancos para isolar a umidade do solo, e nas horas livres se reuniam nas ruas para uma disputa: quem fizesse o maior e mais variado número de sons com os pés, de forma mais original, seria o vencedor. E após isso que os sapatos foram adaptados para a dança.

Após modificações especiais para a modalidade, os calçados se tornaram mais flexíveis, feitos de alumínio, e moedas eram fixadas à sola para que o som fosse mais limpo. Mais tarde, finas placas de pedra passaram a ser fixadas no lugar das moedas, aumentando a qualidade do som.

Nos EUA, porém, desenvolveu-se o chamado sapateado americano, introduzido no país por volta da primeira metade do século 19, na fusão que uniu ritmos e danças dos escravos, que já possuíam um estilo de dança próprio baseado nos sons corporais, com os estilos de sapateado praticados pelos imigrantes irlandeses e colonizadores ingleses. A forma irlandesa do sapateado – também chamada de Irish Tap Dance – concentra-se nos pés, mantendo o tronco rígido.

Já os americanos realizam sua Tap Dance esbanjando ritmos sincopados e movimentos com o corpo todo, abrindo a dança para o estilo próprio de cada executor. O sapateado americano acrescentou à forma irlandesa da dança toda a riqueza musical e de movimentos dos ritmos dançados pelos africanos e, com isso, criou uma modalidade de dança ímpar e que se espalharia, posteriormente, por todo o território dos EUA e, durante o século 20, diversos outros países.

A arte é espalhada pelo mundo todo até hoje, pois profissionais de sapateado americano constantemente realizam workshops e shows internacionais. O Brasil recebe anualmente diversos profissionais americanos como forma de intercâmbio entre os grandes mestres da Tap Dance e os diversos núcleos de sapateado existentes por todo o território nacional.

Dia Internacional do Sapateado

O estilo de dança tem um dia próprio! O Dia Internacional do Sapateado é celebrado no dia 25 de maio, desde o ano de 1989 – dia em que nasceu o maior ícone americano desta modalidade, Bill Bojangles, que, aos 31 anos, obteve o marco da sua carreira com a participação no espetáculo “Blackbirds”, sendo o primeiro negro a conquistar um papel na Broadway.

Benefícios da prática do sapateado

Além de ser divertido e diferente, o sapateado oferece diversos benefícios para a saúde de quem pratica, além de ser divertido e uma prática prazerosa de lazer. Confira alguns dos benefícios que a prática oferece:

  • Sapateado emagrece: uma aula de sapateado chega a queimar cerca de 450 calorias, dependendo da intensidade e do tempo de duração;
  • Sapateado trabalha todo o corpo: além da queima de calorias, o sapateado ainda trabalha todo o corpo, especialmente as pernas e o bumbum, pois exige grandes e brandos movimentos do pés, o que faz com que toda a parte inferior do corpo trabalhe;
  • Sapateado melhora a postura: a prática ajuda na postura e no desenvolvimento da flexibilidade pois é necessário equilíbrio e foco para a prática, já que os pés são os precursores dos movimentos;
  • Sapateado estimula a coordenação motora: assim como é necessário equilíbrio, a coordenação motora também é exigida;

Sapateado promove a interação social: quando se trata de uma dança solo, o bailarino precisa se concentrar nos próprios movimentos, mas quando dançado em grupo, o sapateado exige coordenação e interação, pois os sons ficarão nítidos e limpos se houver sincronismo entre todos que o praticam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *