Segue a exposição “Professor de artes: Pery Guarany Blackman – vida e obra”

Foto – Divulgação/Emerson Castilho

Desde 1º de fevereiro ocorre no box 22 do Plaza Shopping Itu a exposição “Professor de artes: Pery Guarany Blackman – vida e obra”, com curadoria dos doutores Emerson Ribeiro Castilho e Anicleide Zequini.

A mostra traz, pelo menos, dois diferenciais na comparação com as mostras anteriores das obras pintor ituano. Além de apresentar os resultados de recentes pesquisas acerca da vida e trabalho de Pery, abre espaço para as pinturas do pai dele, o imigrante italiano Demétrio Blackman.

Contemporâneo de José Ferraz de Almeida Júnior (1850 – 1899) e formado no Real Instituto de Belas Artes de Nápoles, Demétrio foi professor no Liceu Sagrado Coração de Jesus, em São Paulo, até se mudar para Itu, onde lecionou em diversas escolas, incluindo o tradicional Grupo Escolar “Dr. Cesário Motta Júnior”.

Já Pery nasceu em Itu, em 29 de março de 1900, filho de  Demétrio e da não menos criativa Carolina Vaccari Blackman. Formou-se nos cursos técnicos do Liceu de Artes e Ofícios (1918) e na Scuola di Disegno, Pittura e Plástica Michelangelo Buonarroti (1919), ambas na capital do estado.

Os estudos artísticos de desenho e pintura, no entanto, começaram em casa, com o pai, antes mesmo de dominar a escrita e a leitura. As primeiras exposições de seus trabalhos ocorreram quando o jovem artista ainda não havia completado 12 anos de idade.

A fama de restaurador também veio cedo. Aos 18 anos, já trabalhava na recuperação das obras de Jesuíno do Monte Carmello na Igreja do Carmo, em Itu. Esse trabalho em particular valeu ao jovem o reconhecimento do escritor modernista Mário de Andrade.

Sua carreira como professor teve início em 1916, no Seminário Nossa Senhora do Carmo, onde ministrou aulas de desenho durante quatro décadas. Também atuou no Colégio Nossa Senhora do Patrocínio, no Instituto Borges de Artes e Ofícios e no Ginásio Estadual Regente Feijó.

Após a aposentadoria no magistério, prosseguiu a carreira artística até seu último suspiro, em 4 de junho de 1975. Deixou imenso acervo de telas a óleo e aquarelas a pastel e guache, além de uma coleção de caricaturas. Entre as homenagens póstumas está a denominação de uma escola estadual de Itu.

A exposição, que conta com dezenas de retratos, marinhas e naturezas-mortas, pode ser conferida diariamente, das 10h às 22h. O shopping está localizado na Avenida Dr. Ermelindo Maffei, 1199, no Jardim Paraíso I. Mais informações pelo telefone: (11) 4013-3813.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *