Sinal Verde: sob pressão!

Um desempenho ruim em uma corrida é pouco para fazer uma análise drástica, mas o GP do Azerbaijão de Fórmula 1, marcado para domingo (06), às 9h (horário de Brasília), poderá ditar o ritmo do restante da temporada.

Depois de um fraco desempenho da Mercedes no GP de Mônaco, tanto por parte de Lewis Hamilton (ING) quanto da própria equipe na bizarra troca de pneus de Valtteri Bottas (FIN), não faltaram “alfinetadas” entre os membros das “Flechas de Prata”, que em temporadas anteriores não estiveram acostumados a trabalhar “sob pressão”, já que entre 2014 e 2020 a briga pelo título no mundial de pilotos era entre seus próprios pilotos e o mundial de construtores eram “favas contadas”.

Heptacampeão mundial, Lewis Hamilton luta para retomar liderança da temporada (Foto: Mercedes/Grande Prêmio)

O desempenho atípico foi tão impactante que congelou até mesmo as negociações entre Hamilton e a Mercedes por uma renovação de contrato para 2022. Ao mesmo tempo em que isso ocorre, a Red Bull vem ganhando terreno e até mesmo já ultrapassou a rival na liderança tanto do mundial de pilotos quanto no de construtores.

O GP do Azerbaijão será bastante interessante. Em uma temporada tão equilibrada, outro vacilo como o de Mônaco poderá custar caro. Por outro lado, desde 2014 não vemos a Mercedes fazer mais de uma corrida ruim consecutivamente e durante este período ainda não vimos a Red Bull em posição de “caça”, somente de “caçadora”. O certo é que a corrida será marcada por grande pressão. Vamos em frente!