Espaço Acadil: Chá para um

Falta quem diga agora
O sabor preferido;
Preto ou mate: que importa?
Decido…

A água na chaleira,
Menos que a costumeira,
Nem atinge a metade;
E a primeira fervura
Borbulha sem alarde.

Do velho bule, à mesa,
Vapor emana.
Quem virá elogiar
O requinte e a beleza
Da antiga porcelana?
Só me resta lembrar…

Gosto, calor e aroma
Confiro. O chá está pronto.
A quem anunciar?
Já ninguém diz:
“Mão de inglesa,
Serve a bebida no ponto!”

Chá não compartilhado,
Nada mais em comum.
O verbo do passado.
“Chá para um”.

Maria Lúcia Almeida Marins e Dias Caselli
Cadeira Nº 01 | Patrono Euclydes de Marins e Dias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *