Itu assina R$ 1,5 milhão em convênios para recapes e iluminação

Gilmar Pereira, secretário de Planejamento de Itu, junto com o governador Tarcísio de Freitas (Foto: Assessoria de Imprensa/Governo do Estado)

Na quinta-feira (09), o secretário municipal de Planejamento e Gestão de Obras, Gilmar Pereira, esteve no Palácio dos Bandeirantes durante a assinatura de convênios para infraestrutura urbana. Devido aos projetos apresentados pela Prefeitura, Itu conquistou junto ao governo estadual recursos para aprimoramento da iluminação pública e recape de vias. Ao todo, são aproximadamente R$ 1,5 milhão que serão destinados agora ao município.

Durante o evento na capital, o Estado atendeu 425 demandas de 260 municípios, originadas na SGRI (Secretaria de Governo e Relações Institucionais) do Estado em acordo com as Prefeituras e outras resultantes de indicações parlamentares dos deputados estaduais. A demanda ituana relativa à iluminação é oriunda da deputada Professora Bebel (PT) e a outra, sobre os recapes, foi atendida pela SGRI. Segundo a Prefeitura, não há nenhum pedido atendido ou feito por quaisquer outras fontes ou parlamentares locais nesta ocasião.

Cerca de R$ 100 mil serão empregados na iluminação pública da Avenida Carolina Piunti. O recurso de maior volume contempla quase R$ 1,4 milhão para o recapeamento asfáltico da Avenida Prudente de Moraes (Vila Nova), da Rua Maestro Tobias Perfetti (Padre Bento), da Rua Ivo Domingues Barbieri (Parque das Rosas), da rua Dr. Mássimo Tomasini (São Judas) e da Rua Antônio Perez Guimarães (Mayard).

Representando o prefeito Guilherme Gazzola (PP), o secretário Gilmar aproveitou a ocasião para se encontrar com o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos), tendo a oportunidade de conversar sobre a resolução da situação dos repasses para a Santa Casa de Itu.

Um comentário em “Itu assina R$ 1,5 milhão em convênios para recapes e iluminação

  • 14/05/2024 em 07:33
    Permalink

    Já é o começo, mas o Mayard inteiro precisa ser recapeado e com urgência, tem rua afundando devido a falta de manutenção e peso dos caminhões e ônibus que ali passam, sem contar com os inúmeros buracos devido ao tempo e remendos das aberturas realizadas pela Cia de água e esgoto.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *