Saúde em Foco: Bate-papo com Dr. Fernando Moço

Por Dr. Eneas Rocco*

O Dr. Fernando Moço, Médico Veterinário e Diretor do Centro Veterinário Animal Valley, é o veterinário dos meus dois cães – Frida e Rocco. Numa conversa em seu consultório sobre a saúde dos cães, o convidei para falarmos um pouco sobre esse tema em nossa coluna.

– Dr. Fernando, boa parte dos cães passa o dia sozinho. Como compensar nossa ausência?

É muito comum nos grandes centros, que os cães passem boa parte do dia sozinhos, aumentando a incidência de problemas de saúde e até de transtornos comportamentais. É possível compensar esse stress, trocando o sofá e a televisão por caminhadas leves de até trinta minutos. Tais atividades, podem mudar a qualidade de vida de seu cão e aumentar a ligação entre ele e você. Atividades ao ar livre ajudam na socialização, promovem estímulos olfativos e visuais, além de auxiliar na redução de peso, trabalhar fatores cognitivos e musculares, além de melhorar a condição geral de saúde. 

É preciso estar atento aos problemas articulares, que podem dificultar a boa execução dos movimentos e causar dor. Outra questão são os problemas respiratórios nos cães com focinho curto, que podem ser agravados durante a atividade, em especial nas temperaturas mais elevadas. Nessas situações devemos sempre buscar orientação especializada.

– E quanto à alimentação, quais devem ser nossas principais preocupações?

Os alimentos industrializados, em geral possuem todos os nutrientes necessários para reposição de proteínas, gordura, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais. A composição dessas rações, dispensa o acréscimo de outros componentes à alimentação do seu cão. 

Quando, no entanto, é feita opção por alimentos naturais, deve haver a preocupação com a suplementação, e nestes casos existem especialistas capazes de orientar quanto ao melhor produto para cada situação. Não devemos nos esquecer que o controle de peso é um elemento essencial para prevenção não só de problemas com as articulações, como também do diabetes e das doenças cardiovasculares.

– Dr. Fernando para finalizar, quais os cuidados para viajar com nossos cães?

Em viagens terrestres, no banco de trás do veículo, é necessário o uso do cinto de segurança, pois os cães nunca deverão estar soltos ou com a cabeça para fora da janela. Em caso de caminhonetes, deve ser utilizada a caixa de transporte afixada na carroceria do veículo. Deve-se dar preferência aos horários sem sol e que, em viagens de mais de duas horas, sejam feitas paradas regulares.

As viagens aéreas, demandam ainda mais cuidados; as caixas de transporte devem ter tamanho suficiente para que o animal consiga girar em volta de si mesmo e precisam ser bem ventiladas. É primordial a apresentação de carteirinha de vacinação atualizada e atestado de saúde emitido pelo médico veterinário na véspera da viagem. 

É importante conhecer as regras da companhia aérea com a qual fará sua viagem, e começar o treinamento prévio de adaptando do seu cão ao confinamento, com aumento progressivo do tempo de permanência na caixa, oferecendo alimentos no seu interior e reforçando positivamente com brinquedos e petiscos dentro da caixa. 

O uso de calmantes e sedativos, além de serem contraindicados (já que oferecem risco à saúde do animal) são proibidos pelas companhias aéreas. Seu cão precisa de sua atenção, pois é a você que ele tem, tanto nos momentos de alegria, quanto nos de insatisfação.

***************************

Agradeço ao Dr. Fernando Moço pelas excelentes dicas que nos proporcionou, e já estou pedindo um repeteco para breve!!! Bom fim de semana a todos.

*Dr. Eneas Rocco (CREMESP 25643) é formado pela Faculdade de Medicina da PUC-SP – Campus Sorocaba, com especialização pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e Hospital Matarazzo de São Paulo.