8 de outubro marca o Dia do Nordestino

O dia 8 de outubro é lembrado e comemorado como o Dia do Nordestino. A data foi oficializada com a lei nº 14.952, de 13 de julho de 2009, em São Paulo, local depois do próprio Nordeste, evidentemente, que reúne a maior quantidade de nordestinos em todo o Brasil.

 A data faz referência e reverência ao poeta popular, cantor e compositor cearense Patativa do Assaré. É claro que há inúmeras outras personalidades nordestinas que representam o povo daquela região brasileira. Em toda atividade que se possa imaginar, há um representante nordestino que faz parte da história do Brasil.

  O Periscópio manteve contato com o mestre e historiador Luis Roberto de Francisco, que disse não haver um fato, uma referência que possa ser considerado como marco da vinda de emigrantes nordestinos a Itu.

 “É possível que na década de 1960 já tivéssemos nordestinos trabalhando nas cerâmicas, mas não posso dizer com certeza”. Ele lembra que no ramo da gastronomia, “no Bar do Alemão e no Tonilu vieram trabalhar nordestinos que depois de algum tempo acabaram abrindo seus próprios negócios como o Bar dos Meninos e Via Brasil”.

 Ainda segundo o historiador, outros representantes da região Nordeste vieram para Itu e de alguma forma – como é a característica desses emigrantes – se adaptaram a cidade e formaram famílias, ajudando no desenvolvimento de Itu, nos mais diversos setores da sociedade.

 Pelo Brasil, são inúmeros os exemplos de Nordestinos que participaram e participam da rica história, nos mais diversos setores e das maneiras mais variadas.

 O primeiro presidente do Brasil e um dos principais representantes da Proclamação da República foi Manuel Deodoro da Fonseca, alagoano de Alagoas da lagoa do Sul. Na medicina, José Eduardo Moraes Rego Sousa, cardiologista maranhense de Pedreiras, foi responsável por fazer o primeiro cateterismo no Brasil.

 Pouca gente sabe, mas a famosa Lei Maria da Penha existe graças a cearense Maria da Penha Maia Fernandes, que tornou-se símbolo do feminismo a partir de seu histórico de resistência, após um casamento abusivo.

  No esporte, então, os exemplos são inúmeros. Só para citar um exemplo que está bem perto, aqui em Itu, lembramos do sergipano de Aracaju, José Adilson Rodrigues dos Santos, o popular Maguila. O pugilista foi o primeiro brasileiro campeão mundial dos pesos pesados. Hoje, tristemente, vive em uma clínica ituana, onde trata-se de uma demência pugilística.

  Nomes que de alguma forma passaram para a história nos mais variados setores como Lampião e Maria Bonita, Luiz Gonzaga, Chico Anísio, Castro Alves, Zumbi dos Palmares, Rachel de Queiroz, Rui Barbosa, Maria Quitéria, Padre Cícero, Jorge Amado, Caetano Veloso, entre outros.

  Em Itu, em 9 e 10 de novembro de 2019 ocorreu a 1ª Festa da Cultura Nordestina de Itu, evento que aconteceu no Centro Esportivo e de Lazer do Pirapitingui. Este ano, devido à pandemia no novo coronavírus, o evento está cancelado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *