Com o fim do Inovar-Auto, Kia investe R$ 165 milhões e prevê criação de empregos

Empresa prevê criação de 1.300 novos empregos diretos e abertura de 25 novas concessionárias – 10 já em janeiro

 

Uma das novidades da Kia para 2018 é o sedã Stinger, que aposta no visual moderno/ Foto – Divulgação/Kia Motors

Com o fim do Programa Inovar-Auto e, por consequência, a extinção dos 30 pontos percentuais no IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados e fim da cota de 4.800 unidades/ano sem a sobretaxa, a Kia Motors do Brasil, empresa com sede em Itu, projeta para 2018 a comercialização de 20 mil veículos.

Esse volume permitirá à importadora contribuir com recolhimento de impostos da ordem de R$ 1,2 bilhão, 140% mais em relação aos R$ 500 milhões previstos para este ano, e gerar 1.300 novos empregos diretos, acumulando até o final de 2018 algo em torno de 4 mil empregos diretos.

A empresa ainda pretende realizar investimentos próximos a R$ 165 milhões, dos quais R$ 50 milhões na implantação das novas concessionárias, R$ 45 milhões em publicidade e marketing e R$ 30 milhões em softwares e equipamentos, além de R$ 5 milhões destinados à adequação dos estoques de peças originais de reposição para os novos modelos a serem lançados e em treinamento de colaboradores. Também há projeção de R$ 35 milhões de investimentos no centro tecnológico.

“Nossa projeção de vendas para 2017, ainda sob o regime do Inovar-Auto, é de no máximo 8 mil unidades. Com o retorno à normalidade tributária, já compramos, para produção nos meses de outubro a dezembro, 5 mil unidades, do total de 20 mil programadas para 2018. Com isso, a Kia poderá iniciar janeiro com maior volume de veículos em estoque para comercialização, contribuindo, em 2018, com recolhimento de impostos aos cofres públicos da ordem de R$ 1,2 bilhão, e gerar 1.300 novos empregos diretos”, explica José Luiz Gandini, presidente da Kia do Brasil.

O processo de reestruturação da Kia Motors do Brasil já começou com a nomeação das 10 concessionárias, que iniciam suas operações em janeiro de 2018. Outras 15 estão em fase de prospecção ou negociação, atingindo o planejamento de fechar o ano de 2018 com 115 concessionárias no Brasil.

Com o fim do Inovar-Auto em 31 de dezembro de 2017 e a perspectiva de se comercializar 20 mil unidades em 2018, a Kia Motors espera, com rede autorizada de 115 concessionárias, ter faturamento de R$ 2,5 bilhões e, no mínimo, 4 mil postos de trabalho.

Novos produtos

Kia Stinger possui central de multimídia e acabamento de luxo em seu interior/ Foto – Divulgação/Kia Motors

Para atingir esses objetivos, a Kia Motors do Brasil já programou a chegada de novos modelos, como o Rio, importado do México (com motor 4 cilindros 1.6 litro, flexfuel, de 130 CV), o novo Picanto GT (com motor 3 cilindros, 1.0 litro, com 80 cv), o novo Cadenza (com motor V6 3.3 litros GDI de 290 cv), o sedã Stinger (com versões de motor de 2 litros, 4 cilindros, GDI biturbo, com 255 CV e de motor V6, 3.3 litros, GDI biturbo com 370 cv), além dos SUVs Sportage (4 cil., 2.0 litros, flex, 156 e 167 cv) e Sorento (V6 3.5 litros com 280 cv).

Somam-se a esses os atuais modelos Cerato (sedã médio também importado do México), o crossover Soul, a minivan Grand Carnival e o caminhão leve Bongo, além de aguardar política de tributação diferenciada aos veículos híbridos e elétricos para trazer o Optima Hybrid, Niro Hybrid e o Soul EV Plug-In.

 

Laboratório de emissões

Com investimento de R$ 35 milhões, o Grupo Kia conclui em março de 2018 o Centro Tecnológico, laboratório de emissões veiculares em Salto, onde sua principal atividade será submeter veículos aos ensaios de emissões exigidos pela legislação brasileira no processo de homologação veicular. Segundo Gandini, além do processo de homologação de veículos da Kia Motors, o centro tecnológico pode prestar serviços a terceiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *