Municípios debatem sustentabilidade e desenvolvimento da RMS

Entender as demandas ambientais da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), dando voz a agentes técnicos e à sociedade, para compartilhar ideias, compreender a realidade regional e contribuir para o planejamento voltado à sustentabilidade ambiental. Com esse intuito, acontece nesta sexta-feira (16), às 10h, o I Workshop Técnico sobre Sustentabilidade e Desenvolvimento Regional – Sub-região 2 da RMS.

O evento, que será realizado de forma virtual, é organizado pela Agência Metropolitana de Sorocaba (Agem), do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade na Gestão Ambiental (PPGSGA-So) do Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

A RMS possui diferentes características e vocações dentro de seu território, avalia Rogério Hartung Toppa, professor do Departamento de Ciências Ambientais (DCA-So) do Campus Sorocaba da UFSCar e coordenador do PPGSA-So. “Ao mesmo tempo em que há um grande eixo industrial associado à cidade de Sorocaba, ainda temos municípios com perfis mais voltados à produção agrícola, como Tietê e Jumirim, e outros como Tapiraí e São Miguel Arcanjo, onde ainda há grandes trechos de Mata Atlântica preservada. Assim, o desafio é integrar essas diferentes realidades e vocações em um processo de planejamento no qual o tema transversal é a sustentabilidade aplicada ao desenvolvimento”, defende ele.

Para isso, o Workshop abrirá espaço aos agentes técnicos das prefeituras da RMS para saber como eles compreendem os seus territórios, e assim, de forma participativa, e junto à população, estabelecer um diagnóstico situacional regional para um melhor delineamento de objetivos e metas viáveis para a RMS. Nesse cenário, o professor da UFSCar destaca que a participação da sociedade é fundamental.

“Só assim será possível que as pessoas conheçam um pouco mais a RMS em relação aos seus aspectos ambientais, dentro de uma perspectiva técnica. Para que tenhamos uma sociedade atuante e participativa é necessário que as pessoas conheçam e pertençam à região. O sentimento de pertencimento e a ciência de que é possível atuar para uma mudança positiva começam com a busca de informações e na consolidação do conhecimento”, afirma Toppa.

A RMS é composta por 27 municípios, agrupados em três sub-regiões. Ao todo, serão quatro encontros – neste I Workshop participam as cidades da Sub-região 2: Alumínio, Araçariguama, Ibiúna, Itu, Mairinque, Porto Feliz, Salto e São Roque. “A ideia é realizar mais dois workshops por sub-região, e um quarto workshop integrando todas as informações, para a elaboração de um caderno de contribuições técnicas como subsídio ao planejamento ambiental regional”, explica o professor.

Cada município participante poderá inscrever até dois representantes técnicos das áreas de meio ambiente e planejamento, sendo que a um deles será concedida a palavra por sete minutos, para abordar as demandas ambientais do seu município. As falas serão compiladas, gerando um caderno eletrônico.

Inscrições

O evento também é aberto a todo o público interessado para participação como ouvinte. Para isso, é preciso preencher o formulário de inscrição, disponível no site da Agem (https://bit.ly/3j0lPNg). Será expedido certificado mediante confirmação de participação pelo link de inscrição. O evento acontece pela plataforma Google Meet, cujo acesso será enviado a todos os inscritos.

Mais informações podem ser obtidas nos sites da Agem (https://bit.ly/3j0lPNg) e do PPGSGA-So (www.ppgsga.ufscar.br), que também disponibiliza o e-mail ppgsga.coord@ufscar.br para esclarecimento de dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *