Roque Júnior deixa o comando do Ituano

Roque Júnior chegou com todo respaldo de Juninho. Lua de mel durou três meses. Foto – Arquivo

Terminou de forma melancólica a segunda passagem de Roque Júnior pelo Ituano, com o anúncio de sua dispensa, na manhã da última segunda-feira (19). Roque já havia atuado como atleta do clube e agora estava, havia três meses, como treinador.

A gota d’água acabou sendo o inesperado e indesejado empate do último sábado (17), em casa, diante do fraco PSTC/PR, resultado que deixou a situação do clube bastante delicada em termos de classificação no Grupo A17 da Série D.

Foi o segundo empate dentro de casa, dois resultados péssimos para as pretensões do clube que focou todo seu planejamento do segundo semestre na Série D do Brasileiro.

Juninho justificou sua decisão como “muito difícil”, mas precisou agir menos como amigo e mais como gestor. Por seu lado, o treinador disse que foi surpreendido e que “saio com meu trabalho inacabado”.

Em três meses dirigindo o Ituano, foram 15 jogos, com cinco vitórias, sete empates e três derrotas, num aproveitamento de 48%. Com Roque, saíram também os auxiliares Juliano Camargo e Rodrigo Leitão.

Para o importante e decisivo jogo contra o São José/RS, no próximo domingo (25), o treinador da equipe será Vinícius Bergantim, que vinha trabalhando como auxiliar de Roque e tem competência para assumir o time nesta situação difícil. (Moura Nápoli)

 

>> Juninho diz que saída de Roque foi necessária

Falando na tarde de ontem (20), o gestor do Ituano Juninho Paulista mostrou-se bastante preocupado com o momento atual do Ituano.

Sobre a saída de Roque Júnior, disse que “temos uma grande amizade que vai além do clube e foi uma decisão difícil, mas tive de toma-la para não perder tudo o que planejamos. Os resultados, principalmente em casa não vieram e era a hora de mudar, sob pena de perder tudo”.

Por seu lado, Roque Júnior saiu magoado. Em entrevista concedida à Rádio Transamérica na noite de segunda-feira (19), Roque não poupou críticas e não escondeu que até a amizade pessoal ficou arranhada.

Quanto a Vinícius Bergantim, Juninho disse que “ele está no clube há mais de quatro anos, conhece toda a estrutura, desde a base e está efetivado como técnico. Foi assim com o Doriva. Agora poderá ser com o Vinícius”.

O gestor acredita que o Ituano possa fazer fora, o que não fez em casa. “Vamos enfrentar um time bom, que joga em campo sintético e teremos de nos acostumar com isso. Vamos treinar quinta e sexta m Araçariguama, num gramado sintético e acredito que possamos voltar com o resultado e a classificação”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *