Prefeitura de Itu divulga novo balanço sobre estragos pós-chuvas

Bairro Jardim Paraíso II foi o único ponto de alagamento na área urbana da cidade de Itu (Foto: Sandro Adorno/Alessandro Mazaro)

Ainda em razão da tempestade que atingiu o município na madrugada de segunda-feira (10), a Prefeitura de Itu divulgou hoje (11) novo boletim informativo sobre o ocorrido. Após fechamento dos chamados recebidos, a administração ratificou que o bairro Jardim Paraíso II foi o único ponto de alagamento em perímetro urbano, não havendo inundações em outras localidades, “diante da eficácia do sistema de drenagem do município”.

O nível da água no ponto afetado está baixando e, tão logo o escoamento ocorra por completo, a Prefeitura iniciará os procedimentos de limpeza da área. O local permanece isolado e está sendo monitorando pela Defesa Civil. As oito famílias que tiveram que deixar as suas residências foram acolhidas pela Secretaria Municipal de Promoção Social, sendo que somente uma necessitou de abrigo, enquanto as demais recorreram a parentes e amigos.

A Zona Rural foi a principal atingida pelas intempéries climáticas. Uma força-tarefa da Prefeitura, formada por funcionários CIS – Companhia Ituana de Saneamento, da Secretaria Municipal de Serviços Rurais e integrantes da Defesa Civil local, vistoriou os 545 quilômetros de estradas rurais de Itu ao longo desta terça-feira, com o objetivo de fazer um levantamento detalhado dos danos causados pela forte chuva.

Foram constatadas quedas de pontes, nas regiões do Taquaral, Quintas das Laranjeiras, Varejão e Pinheirinho. Com auxílio da Secretaria de Segurança, Transporte e Mobilidade, foram sinalizadas rotas alternativas para os principais pontos interditados.

O levantamento também noticiou uma série de deslizamentos, acentuações de desníveis e algumas quedas de árvores em leitos carroçáveis. Danos em propriedades privadas também foram observados, como abalos em alambrados e muros. Apesar da volumosa chuva, que superou a marca de 160 mm durante a madrugada, não houve vítimas e nem desabrigados na zona rural.

“A Prefeitura segue prestando suporte em situações de atolamentos de veículos nas estradas de terra. Os homens e máquinas de Serviços Rurais já iniciaram ações paliativas para restabelecer condições seguras de tráfego de veículos.  Estão sendo priorizadas vias de uso do transporte público e de estudantes”, afirma o boletim.

A hipótese de decreto de estado de emergência na zona rural, cogitada pelo prefeito Guilherme Gazzola, está descartada neste momento em que as previsões são de chuvas mais amenas para os próximos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *